Óleo de girassol: por que a indústria mantém cautela mesmo com a queda dos preços

Produção recorde de girassol na Ucrânia e em outros países derrubou a cotação do óleo vegetal usado pela indústria de alimentos

Óleo de girassol
Por Celia Bergin, Áine Quinn e Anuradha Raghu
26 de Novembro, 2023 | 12:12 PM

Bloomberg — Quando a Rússia invadiu a Ucrânia em 2022, o óleo de girassol desapareceu das prateleiras dos supermercados, elevando os preços às alturas. Quase dois anos depois, o mercado agora está inundado de oferta, mas os compradores da indústria mantêm a cautela.

Após as consequências imediatas da guerra, que viram os preços dispararem para mais de US$ 2.300 por tonelada, os agricultores da Ucrânia contrariaram as expectativas ao cultivar safras de girassol maiores do que o esperado durante a guerra.

Lucros mais altos para cultivar oleaginosas atraíram produtores de outros grãos e, com colheitas robustas em outros países, a produção de óleo de girassol está prestes a atingir um recorde.

“A semente de girassol é mais lucrativa, as margens são mais altas do que trigo e milho”, segundo Sergey Feofilov, diretor geral da UkrAgroConsult. O fornecimento está no auge, pois a colheita na Ucrânia — agora o segundo maior produtor do mundo — acabou de terminar, disse ele.

PUBLICIDADE
LEIA +
Na Itália, produtores de azeite recorrem ao turismo para compensar as perdas

No entanto, mesmo com preços quase a metade dos níveis pré-guerra, a memória do choque do ano passado paira sobre o mercado. Fabricantes de alimentos, de batatas fritas a biscoitos, foram obrigados a ajustar sua produção, usando alternativas ao óleo de girassol. Voltar ao produto exigiria refazer esse esforço.

“Embora o óleo de girassol seja mais barato, ainda não é muito mais barato por um período prolongado para incentivar um retorno da indústria”, disse Hiten Patel, que compra e negocia óleo para a produtora sueca AAK. E à medida que a guerra se estende por um segundo ano, “muitos que haviam mudado para colza e palma descobriram que um fornecimento seguro é mais importante do que o preço”.

Global Sunflower Oil Production Forecast to Hit Record High  |dfd

A Ucrânia enfrentou dificuldades para exportar óleo de girassol quando seus portos foram bloqueados nas primeiras semanas após a invasão. Agora o país está enviando o produto por mar novamente e encontrou rotas alternativas de exportação por estrada, rio e ferrovia.

PUBLICIDADE

A produção global deve atingir 22 milhões de toneladas no ano de colheita de 2023, segundo as previsões do Departamento de Agricultura dos EUA. Isso seria o nível mais alto em registros que remontam aos anos 1960.

A queda nos preços de óleos vegetais — usados para cozinhar e em muitos produtos embalados — ajudou a moderar a inflação de alimentos, oferecendo algum alívio aos consumidores que lidam com o aumento do custo de vida.

Mas os compradores industriais podem estar certos em serem cautelosos, já que a perspectiva para 2024 é mais complicada.

Os preços devem subir, pois a produção da Ucrânia não deve ser tão alta e os custos de seguro para navios aumentaram, disse Gnanasekar Thiagarajan, chefe de estratégias de negociação e hedge na Kaleesuwari Intercontinental, por telefone de Mumbai.

Sunflower Oil Prices Slide From Record High | Other vegetable oils have also declineddfd

A guerra continua a pressionar as finanças dos agricultores na Ucrânia, e a ameaça de ataques russos a navios que transportam mercadorias ucranianas aumentou os custos logísticos.

Além disso, quando os fabricantes de alimentos analisam o óleo de cozinha, estão considerando fatores além dos movimentos de preços de mês a mês. Uma vez que as receitas foram reformuladas, com base nas agudas lacunas de oferta no ano passado, isso envolveu mudanças em tudo — desde processos de produção até embalagens. Isso pode pesar potencialmente nas finanças da Ucrânia em tempos de guerra.

“As alternativas vieram para ficar”, disse Patel da AAK. “Isso explica por que os preços do óleo de girassol caíram e não vemos uma grande mudança de volta.”

PUBLICIDADE

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Cacau atrai dinheiro novo e Brasil quer dobrar produção

Estiagem do rio Mississippi ameaça a exportação de grãos dos Estados Unidos

Vibra: expansão do milho abre caminho para a aposta em etanol, diz CEO