As 10 maiores recuperações judiciais do agro

Também no Breakfast: Suzano negocia com bancos japoneses para oferta pela IP | O plano da Uber para acessar todos os taxistas brasileiros | EUA processam Live Nation e Ticketmaster por abuso de poder

Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg Línea — Este é o Breakfast - o seu primeiro gole de notícias. Uma seleção da Bloomberg Línea com os temas de destaque no mundo dos negócios e das finanças. Bom dia!

Depois de anos de bonança ininterrupta, a crise chegou ao agronegócio.

Os efeitos causados pelo El Niño, combinados com inflação dos insumos, queda dos preços de commodities agrícolas e juros elevados persistentes, criaram um cenário muito adverso para o setor, que deve enfrentar um avanço do número de recuperações judiciais em 2024, segundo especialistas.

As dez maiores dívidas de empresas do setor que já estão em recuperação judicial (RJ) atualmente no país somam cerca de R$ 5 bilhões, de acordo com levantamento do Diamantino Advogados Associados, especializado em direito agrário e do agronegócio, para a Bloomberg Línea.

PUBLICIDADE

As duas maiores recuperações judiciais do agronegócio atualmente superam um passivo individual de R$ 1 bilhão cada uma, segundo o levantamento. A Sperafico Agroindustrial, do Paraná, tem uma dívida de R$ 1,07 bilhão. Já a Usina Maringá declarou dívida de R$ 1,02 bilhão.

Leia mais: Dívidas das 10 maiores recuperações judiciais do agro somam R$ 5 bilhões

Soybeans during a harvest on a farm in Brazil. Photographer: Andressa Anholete/Bloombergdfd

No radar dos mercados

As ações europeias recuam nesta sexta-feira (24), à medida que os traders adiam suas expectativas para o primeiro corte de juros do Federal Reserve.

🏢 Fim do home office? O Citigroup, o HSBC e o Barclays estão exigindo que mais funcionários trabalhem nos escritórios da empresa cinco dias por semana, dado que mudanças regulatórias tornam mais difícil para Wall Street permitir o trabalho remoto.

🚀 Valuation de US$ 200 bi. A SpaceX, de Elon Musk, está em discussões para a venda de ações existentes a um preço que poderia avaliar a empresa em cerca de US$ 200 bilhões, segundo pessoas familiarizadas com o assunto que falaram à Bloomberg News.

📉 Queda à vista? É preciso cautela em meio ao forte rali nos mercados globais de ações, segundo o estrategista Michael Hartnett, do BofA. Ele adotou um tom mais neutro em relação às ações este ano. Em 2023, ele foi amplamente pessimista, mesmo com o S&P 500 subindo 24%.

Leia a matéria completa sobre o que está guiando os mercados hoje

Breakfast 24-5-24dfd
🔘 As bolsas ontem (23/05): Dow Jones Industrials (-1,53%), S&P 500 (-0,74%), Nasdaq (-0,39%), Stoxx 600 (+0,07%), Ibovespa (-0,73%)

LEIA + Siga a trilha dos mercados para conhecer as variáveis que orientaram os investidores →

🗓️ Agenda: Os eventos e indicadores em destaque hoje e na semana →

Destaques da Bloomberg Línea:

Suzano negocia com bancos japoneses para financiar oferta pela IP, dizem fontes

Uber quer incluir todos os taxistas do Brasil na plataforma até 2025, diz CEO global

James Gorman deixará a presidência do conselho do Morgan Stanley no fim do ano

E mais na versão e-mail do Breakfast:

• Também é importante: EUA processam Live Nation e Ticketmaster por alegado monopólio e prejuízos a fãs | Proposta de imposto sobre bilionários apoiada pelo Brasil causa divisão no G7

• Opinião Bloomberg: Com ou sem dolarização, estabilizar a economia da Argentina será custoso

• Para não ficar de fora: Nova York tem receita recorde com o turismo após retomada de viagens

Essa foi uma amostra de Breakfast, a newsletter matinal da Bloomberg Línea com as notícias de destaque no Brasil e no mundo.

Para receber a íntegra da newsletter na sua caixa de email, registre-se gratuitamente no nosso site.

Por hoje é só. Bom dia!

Obrigado por ler nossa newsletter matinal.

Equipe Breakfast: Marcelo Sakate (Editor-chefe, Brasil), Filipe Serrano (Editor, Brasil) e Mariana d’Ávila (Editora Assistente, Brasil)