A humanização da IA em xeque

Também no Breakfast: Mudanças na Verde, de Stuhlberger, após perdas com ações | A saída de Karina Saade do comando da BlackRock no Brasil | O aumento das sobretaxas ao aço importado da China

Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg Línea — Este é o Breakfast - o seu primeiro gole de notícias. Uma seleção da Bloomberg Línea com os temas de destaque no mundo dos negócios e das finanças. Bom dia!

Uma semana após a OpenAI revelar uma assistente pessoal que pode rir, cantar e falar com uma mistura de diferentes vozes, o investidor e parceiro mais próximo da empresa ofereceu uma visão sutilmente diferente sobre como as pessoas devem se engajar com novas ferramentas de Inteligência Artificial (IA).

“Eu não gosto de antropomorfizar a IA,” disse Satya Nadella, CEO da Microsoft, à Bloomberg Television neste começo de semana, referindo-se à prática de verbos e substantivos para descrever a IA que são tipicamente reservados para pessoas. “Eu acredito de certa forma que é uma ferramenta.”

As observações de Nadella sugerem um debate contínuo na indústria de tecnologia sobre o quanto se deve humanizar os serviços de IA em um momento em que a tecnologia tem avançado e respondido de maneiras que parecem cada vez mais humanas.

PUBLICIDADE

Muitas pessoas nas redes sociais compararam o recurso apresentado pela OpenAI ao filme distópico “Ela” (“Her”), uma discussão alimentada por uma opção de voz específica que os usuários disseram se assemelhar à estrela do filme, a atriz Scarlett Johansson, que não autorizou o seu uso.

Leia mais: Como a humanização da IA colocou em lados opostos o CEO da Microsoft e a OpenAI

Satya Nadella, CEO da Microsoftdfd

No radar dos mercados

Os mercados globais têm mais um dia de cautela nesta quarta-feira (22), com dados de inflação no Reino Unido e antes da divulgação da ata da última reunião de política monetária do Federal Reserve.

🇺🇸 Ata do Fomc. Os traders reduziram as expectativas para cortes nos juros do Fed este ano, vendo atualmente cerca de 40 pontos-base de cortes em 2024. A ata da última reunião do Fomc, a ser divulgada hoje, pode oferecer mais pistas sobre a visão dos formuladores de políticas monetárias.

📊 Balanço. A Nvidia divulga seu balanço hoje após o fechamento do pregão. A projeção é por um aumento de 243% na receita, mas uma alta de 90% nas ações no acumulado do ano significa que ela pode ter dificuldades para corresponder às altas expectativas.

Novo dono. A Oaktree Capital Management, de Howard Marks, assumiu a propriedade do clube de futebol italiano Inter de Milão ontem depois que seu proprietário deixou de pagar um empréstimo de 395 milhões de euros.

Leia a matéria completa sobre o que está guiando os mercados hoje

Breakfast 22-5-24dfd
🔘 As bolsas ontem (21/05): Dow Jones Industrials (+0,17%), S&P 500 (+0,25%), Nasdaq (+0,22%), Stoxx 600 (-0,18%), Ibovespa (-0,27%)

LEIA + Siga a trilha dos mercados para conhecer as variáveis que orientaram os investidores →

🗓️ Agenda: Os eventos e indicadores em destaque hoje e na semana →

Destaques da Bloomberg Línea:

Luis Stuhlberger assume estratégia de ações da Verde após reestruturação de time

Karina Saade deixará o comando da BlackRock no Brasil e irá para family office

Brasil, México e Chile elevam tarifas sobre aço da China após ‘invasão’ do mercado

E mais na versão e-mail do Breakfast:

• Também é importante: Fundador do Fórum Econômico Mundial vai abrir mão da presidência | Goldman Sachs diz que investidores já se preparam para S&P 500 mais volátil

• Opinião Bloomberg: Como as taxas sobre veículos elétricos da China afetam a indústria dos EUA

• Para não ficar de fora: Espanha decide retirar embaixador de Buenos Aires em disputa com Milei

Essa foi uma amostra de Breakfast, a newsletter matinal da Bloomberg Línea com as notícias de destaque no Brasil e no mundo.

Para receber a íntegra da newsletter na sua caixa de email, registre-se gratuitamente no nosso site.

Por hoje é só. Bom dia!

Obrigado por ler nossa newsletter matinal.

Equipe Breakfast: Marcelo Sakate (Editor-chefe, Brasil), Filipe Serrano (Editor, Brasil) e Mariana d’Ávila (Editora Assistente, Brasil)