UBS estuda bônus para bankers que trouxerem clientes ricos, dizem fontes

O formato exato do novo bônus ainda está sendo discutido pelos principais executivos, disse uma das pessoas a par do assunto à Bloomberg News

UBS
Por Chanyaporn Chanjaroen
11 de Maio, 2024 | 06:06 PM

Bloomberg — O UBS está considerando introduzir um sistema de recompensa para seus investment bankers que atraírem clientes para a unidade de gestão de patrimônio do banco, de acordo com pessoas com conhecimento do assunto que falaram à Bloomberg News.

Alguns banqueiros provavelmente entrarão na fila para receber os pagamentos na Ásia e na Europa quando conseguirem atrair dinheiro novo para a unidade de private banking do UBS, disseram as pessoas, que pediram para não serem identificadas por discutirem planos confidenciais.

As taxas seriam inéditas para o banco com sede em Zurique e ecoa os incentivos anteriores que o Credit Suisse ofereceu aos seus profissionais, disseram as pessoas.

Leia mais: UBS volta a dar lucro com impulso de wealth management e investment banking

PUBLICIDADE

O formato exato do novo bônus ainda está sendo discutido pelos principais executivos, disse uma das pessoas. Nenhuma decisão foi tomada ainda e as taxas de indicação podem não se concretizar, acrescentaram. Um porta-voz do UBS preferiu não comentar.

Essas considerações destacam como o CEO Sergio Ermotti está buscando formas de expandir os ativos investidos pelo banco e reduzir a diferença com o Morgan Stanley (MS).

O UBS planeja aumentar os ativos de private banking para mais de US$ 5 trilhões após a aquisição do Credit Suisse no ano passado, depois que uma corrida nos resgates levou seu concorrente à beira do colapso.

Executivo está buscando formas de expandir os ativos investidos pelo banco e reduzir a diferença com o Morgan Stanleydfd

No Credit Suisse, em que Iqbal Khan, chefe de wealth management, trabalhou durante seis anos, laços mais próximos entre os departamentos de banco de investimento e gestão de patrimônio ajudaram a impulsionar as receitas e transformaram o banqueiro em uma estrela em ascensão no mundo de wealth da Suíça.

A aquisição surpresa trouxe Khan de volta ao contato com muitos de seus ex-colegas.

A compra do Credit Suisse, teoricamente, significa que o UBS agora tem um banco de investimento maior e mais sofisticado para ajudar a encaminhar empresários — que precisam de serviços bancários, assessoria em oferta pública inicial (IPO) e trading — para os serviços de gestão de patrimônio quando ficarem ricos.

É claro que estender os negócios com indivíduos ricos em diferentes divisões do banco pode trazer riscos se eles não forem devidamente avaliados.

PUBLICIDADE

O Credit Suisse enfrentou o rompimento de várias relações nos últimos anos, desde Bill Hwang, da Archegos Capital Management, até Lex Greensill, de sua empresa de finanças homônima, e Lu Zhengyao, fundador da Luckin Coffee.

Antes da aquisição, Khan, que trabalhou no Credit Suisse até 2019, desempenhou um papel importante ao trazer vários ex-colegas para o UBS, incluindo Young Jin Yee, co-head de gestão de patrimônio para a região da Ásia-Pacífico.

--Com a colaboração de Cathy Chan, Ambereen Choudhury e Denise Wee.

Veja mais em bloomberg.com