Planejando viajar? Veja estas dicas para não passar apuros e aproveitar o fim de ano

Hillary Dixler Canavan, editora de restaurantes da revista Eater, compartilha as melhores dicas que já colocou em prática em suas viagens

Foto panorâmica de Amsterdã onde se vê edifícios de arquitetura típica
Por Nikki Ekstein
09 de Dezembro, 2023 | 10:47 AM

Bloomberg — Quando seu trabalho é encontrar os melhores restaurantes dos Estados Unidos e de outros países, a tarefa exige não apenas muita comida boa, mas também muitas viagens eficientes. É o que acontece com Hillary Dixler Canavan, editora de restaurantes da revista Eater e autora do livro de receitas recém-publicado, “Eater: 100 Essential Restaurant Recipes, From the Authority on Where to Eat and Why it Matters”.

O livro funciona também como um guia sobre onde comer nos EUA. E, de fato, a pesquisa, a redação e a promoção do livro levaram Canavan a fazer viagens para dezenas de cidades, desde as capitais gastronômicas óbvias (Nova York, Los Angeles, São Francisco) até os centros de restaurantes em ascensão, como Boston, Denver e Indianápolis.

LEIA +
Como conseguir dormir em um voo e outras 7 dicas desta viajante profissional

Mas o gosto de Canavan por viagens gastronômicas precede a concepção de seu livro. Nascida e criada em Nova Jersey – onde lanchonetes da velha guarda e restaurantes com molho despertaram seu interesse pelos locais – ela começou a planejar viagens gastronômicas quando viajava regularmente para o estado de Rhode Island, onde fez faculdade. Ela aprendeu a planejar suas viagens estrategicamente para ir a pizzarias como a Sally’s ou a Pepe’s em New Haven, na época em que suas famosas filas longas eram mais fáceis de controlar. Suas primeiras lembranças de viagem incluem comer rijstaffel em Amsterdã e fritas em um cone de papel em Bruxelas em viagens de família quando ela era adolescente.

Atualmente, suas viagens variam entre fantasias gastronômicas globais e viagens familiares. Aqui estão suas melhores dicas de viagem, moldadas por suas experiências de maternidade, reportagens culinárias e viagens constantes.

PUBLICIDADE

Use o Google Maps para selecionar lugares para visitar

Quando viajo, gosto de manter o equilíbrio entre fazer algumas reservas para almoço ou jantar e fazer algumas refeições não planejadas. O objetivo é dar a cada itinerário estrutura suficiente para que eu saiba que farei o mais importante e, ao mesmo tempo, ter tempo suficiente para ver onde o dia me leva. Se você gostar de um museu e quiser ficar mais tempo, não precisa se sentir obrigado a ir embora para honrar uma reserva.

Ironicamente, o truque para ser espontâneo é planejar. Quando planejo uma viagem, pesquiso os lugares interessantes no Google Maps, decido quais atividades serão as principais de cada dia e, em seguida, marco os pontos de interesse geograficamente convenientes, usando um sistema simples de sinalização do aplicativo. Dessa forma, quando saímos do museu, podemos abrir o aplicativo e descobrir o que consideramos interessante nas proximidades. E fazer esse trabalho braçal é muito divertido e um bom exercício de animação para a viagem.

Aceite ajuda dos locais e do hotel no Japão

Meu marido e eu fomos ao Japão em nossa lua de mel e nada foi exagerado. Comer sushi na feira de Tsukiji? Uma das minhas refeições favoritas de todos os tempos. Atravessar um tufão para ver o Grande Buda de Kamakura? Ótimo. Gastar uma pequena fortuna por uma noite em uma pousada de luxo com um onsen ao ar livre para que eu pudesse curtir as fontes termais? Sempre lembrarei desse momento.

PUBLICIDADE

De modo geral, os serviços de concierge em hotéis de alto padrão no Japão são muito melhores do que o que eu acho que se espera de hotéis de alto padrão nos Estados Unidos. Permitir que eles ajudem a fazer reservas em restaurantes é muito útil porque eles falam japonês e muitos lugares não aceitam reservas online. O truque é aproveitar o serviço deles assim que você reservar o hotel, em vez de esperar até chegar à recepção.

Fique um pouco longe dos seus amigos

Minha melhor amiga e eu viajamos juntas, só nós duas, desde a época da faculdade: fomos para Amsterdã, Berlim, Londres... e agora ela também é mãe, então estamos planejando viagens em família e uma viagem especial só para nós para nossos próximos aniversários de 40 anos em alguns anos.

Com o tempo, estabelecemos nossos ritmos para viajarmos juntas. Sei que, pela manhã, ela sempre faz ioga, então dou espaço a ela e saio para buscar café, o que também acho essencial. Uma coisa que faz com que nossas viagens sejam bem-sucedidas é sempre fazer questão de dar tempo para cada uma.

Mas também fazemos outras coisas. Costumamos concordar com antecedência sobre o orçamento: onde queremos gastar menos ou ostentar? Geralmente tomamos café da manhã no quarto do hotel usando mantimentos que compramos juntos, para economizar dinheiro, e temos expectativas claras quanto a dividir o quarto. Ela dorme bem, então se sente confortável com a possibilidade de eu dormir tarde, então isso não a incomodará.

Também vale a pena dizer que adoro planejar, mas quando viajo com essa amiga, ela também faz alguns planejamentos, e isso é muito significativo para mim. É um grande presente que ela me dá como amiga. Isso faz com que eu me sinta bem cuidada.

LEIA +
Qual é o único hotel brasileiro eleito um dos 50 melhores do mundo?

Planeje a refeição perfeita após o voo

Se estou viajando para um lugar novo, geralmente planejo minha primeira refeição com bastante antecedência, triangulando a distância entre o hotel, o restaurante e o que vou querer fazer depois. A escolha perfeita precisa estar em um local conveniente – que pode ser muito próximo ao hotel, dependendo do horário de pouso e da fome que eu espero ter. Precisa parecer especial, algo que eu não conseguiria em nenhum outro lugar, mas não precisa ser sofisticado ou caro.

Em minha primeira refeição no Japão – onde tive que lutar contra o jet lag para ficar acordada – eu sabia que o hotel ficava a 15 minutos de caminhada de uma das lojas de ramen mais conhecidas de Tóquio, então essa foi a primeira refeição. A caminhada e a motivação para algo que eu queria experimentar me manteve acordada, e consegui entrar sem reserva. Com viagens tão imprevisíveis, esse também é um critério importante. Contudo, quando vou para um lugar que visito frequentemente, já tenho a primeira refeição na ponta da língua.

PUBLICIDADE

Curta o maior luxo de todos em um quarto de hotel

Eu gosto de reservar uma tarde para assistir a um filme em meu hotel. Relaxar em um quarto confortável e apenas aproveitar o prazer de um filme é o que transforma uma simples viagem em boas férias. Sei que é contraintuitivo fazer algo que você poderia fazer em casa, mas quando você realmente faz isso em casa intencionalmente, escolhendo seu filme favorito e se aconchegando em uma cama gigantesca com bastante pipoca, é uma delícia!

Aprenda esta palavra no idioma local

Eu sempre me certifico de aprender o básico, como “por favor”, “obrigado”, “com licença”, “desculpe”. Também procuro superlativos, para poder elogiar os chefs diretamente. Coisas como “delicioso”, “fantástico”, “incrível”, “o melhor”. Mesmo que eu tropece nas expressões idiomáticas, ninguém fica decepcionado ao saber que você adorou a comida.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDADE

Do Japão à Itália: os destinos que mais cresceram para millennials e a Geração Z

Trabalho totalmente remoto é mais vulnerável à IA, diz especialista