Vai viajar para Londres? Confira os restaurantes mais aguardados de 2023

A Bloomberg preparou uma lista com 13 restaurantes que já estão de portas abertas ou serão inaugurados até dezembro na capital inglesa

Vista do Big Ben em Londres no Reino Unido
Por Kate Krader
30 de Setembro, 2023 | 09:26 AM

Bloomberg — Londres vai ficar movimentada neste semestre. Este ano, a previsão é de que haja 2 milhões de turistas internacionais a mais do que em 2022, gerando uma receita de 674 milhões de libras (US$ 827 milhões), de acordo com o gabinete do prefeito Sadiq Khan.

O mercado de restaurantes da cidade está ansioso pelo fluxo de turistas. O outono britânico é sempre uma estação movimentada, já que as pessoas (em sua maioria) retornam ao escritório após o verão e os preparativos para o fim de ano começam. É um bom momento para abrir uma nova casa gastronômica e fazer com que as pessoas falem sobre ela.

Assim, a cidade conta com vários novos restaurantes prestes a abrirem as portas. Alguns velhos conhecidos estão de volta à ativa: Jamie Oliver abriu seu primeiro novo restaurante no Reino Unido em quatro anos, depois que sua rede Jamie’s Italian faliu em 2019 e ele fechou mais de 20 unidades.

Seu novo local será no coração de Covent Garden, e o cardápio terá como destaque a comida dos produtores britânicos que ele destaca. Nos próximos meses, um dos salões mais emblemáticos de Londres, o Wolseley, recriará seu cardápio para o dia todo em um espaço amplo para o público de negócios da cidade.

PUBLICIDADE

Há novas opções sofisticadas em hotéis, como o Brooklands, no terraço do recém-inaugurado Peninsula London, onde o tema da decoração é velocidade e cuja decoração inclui uma miniatura do avião supersônico Concorde; o cardápio também é estritamente britânico.

Mas a culinária de outras partes do mundo está presente em outros locais. O amado Chishuru – e o moderno cardápio nigeriano do chef Adejoké Bakare – mudou-se de Brixton para um local maior, não muito longe da Oxford Street, em um espaço que destaca o trabalho de designers de toda a África.

.dfd

No entanto, os lugares mais comentados serão, sem dúvida, aqueles com cardápios japoneses. O mestre do sushi Masayoshi Takayama, conhecido mundialmente como Masa, está abrindo seu primeiro restaurante no Reino Unido no recém-reformado Food Halls da loja Harrods. E Aragawa, um posto avançado do venerado enclave de carnes em Tóquio, está trazendo seus caríssimos cortes para Londres.

PUBLICIDADE

Alguns dos locais mencionados a seguir já abriram as portas; os demais serão inaugurados em breve. Confira os principais novos restaurantes da temporada em Londres.

Chishiru, Fitzrovia

Todos em Londres adoravam o restaurante da África Ocidental de Adejoké Bakare em seu local original (e menor) em um salão de alimentação em Brixton. Em outubro passado, ela o fechou para procurar novas instalações. Ela o encontrou em Covent Garden, onde finalmente reabriu em um espaço ricamente colorido, com 60 lugares e uma luminária personalizada do estúdio de design sul-africano Mash.T.

O menu fixo de Bakare (65 libras no jantar – aproximadamente US$ 79 – e 35 libras no almoço – aproximadamente US$ 42) expande o original com pratos como bolinhos de arroz fermentado (sinasir) com caranguejo branco e marrom; bacalhau com molho preto temperado (mbongo tchobi); e repolho grelhado com molho de sementes de melancia selvagem. A equipe de Bakare prepara martinis de quiabo em conserva para iniciar a refeição e shots de eau de vie com infusão de pimenta para finalizar. Em funcionamento.

Llama Inn, Shoreditch

No movimentado hotel Hoxton, em Shoreditch, agora há a oportunidade de se deliciar com comidas e bebidas peruanas estelares. Assim como o carro-chefe de Williamsburg, o Llama Inn London tem uma localização na cobertura com vistas urbanas. No cardápio do chef Erik Ramirez em Londres: ceviches brilhantes, como lula crocante com yuca e aji rocoto picante e lomo saltado – o clássico peruano de bife frito, servido com batatas fritas e panquecas de cebolinha. A envolvente lista de bebidas tem pisco, é claro, mas também coquetéis como o Yayo Hipster, à base de gim, que leva limonada de azeitona. Em funcionamento.

L’Atelier Robuchon, Mayfair

O falecido fundador desse sofisticado local gastronômico, Joël Robuchon, ainda tem mais estrelas Michelin associadas ao seu nome do que qualquer outro chef. O restaurante, localizado próximo ao Le Deli Robuchon – que deu ao mundo o croissant em cubo – foi reaberto em meados de setembro sob a liderança do chef Andrea Cofini.

Atrás do balcão de mármore do chef, ele e sua equipe estão servindo clássicos como codorna com foie gras e purê de batatas que inclui uma quantidade escandalosa de manteiga. A carta de vinhos tem uma forte seleção de Champagnes, e há uma lista rotativa de DJs que proporcionam um ambiente na nova seção do bar. Em funcionamento.

Bébé Bob, Soho

Bob Bob Ricard é sinônimo da presença de um botão que, quando acionado, faz automaticamente um pedido de champanhe para a mesa. Agora, um estabelecimento-irmão com um nome sagaz se junta à família com um cardápio diferente das ofertas russas clássicas do original.

PUBLICIDADE

O Bébé Bob se especializará em frango assado, com aves da França servidas com molho e alguns acompanhamentos, como couve salteada e batatas fritas com trufas. Mas como esse é um local do Bob Bob, haverá a opção de caviar e blinis para começar. A carta de vinhos privilegia a Borgonha vermelha e branca; até mesmo as garrafas mais caras da lista não ultrapassam 75 libras (US$ 91). Inauguração: final de setembro.

Paper Moon London, Westminster

O OWO pode estar fazendo seu nome em Londres por causa do hotel Raffles London de 1,4 bilhão de libras (US$ 1,7 bilhão) que o ancora e do escritório de Winston Churchill que se tornou uma suíte de alto padrão no hotel. Mas ele também está se tornando um complexo de restaurantes de destino. O chef de renome mundial Mauro Colagreco tem três locais na propriedade; além disso, há também uma unidade do fabuloso Café Lapérouse de Paris.

E há ainda o Paper Moon, uma extensão do elegante local de refeições de Milão, no térreo da ala de residências do OWO. O espaço com mais de 100 lugares, repleto de mármore, inclui um grande bar com uma árvore no centro; há planos para adicionar assentos ao ar livre.

O cardápio é repleto de pratos como ravióli recheado com burrata e carne de porco; fritto misto com maionese caseira de rabanete; e filé mignon com molho de pimenta rosa. Inauguração: 2 de outubro.

PUBLICIDADE

Brooklands, Belgravia

Situado no oitavo andar do recém-inaugurado hotel Peninsula, o Brooklands tem vistas deslumbrantes do Hyde Park. Sente-se no bar e sua vista incluirá o vizinho Palácio de Buckingham, o Big Ben e a Catedral de São Paulo. O chef Claude Bosi supervisiona a cozinha.

A comida é decididamente britânica: cebolas com caviar de Exmoor e geleia de pato; galinhas-d’angola locais com mariscos escoceses e folhas de beterraba, e uma sobremesa chamada Best of the British Apples, adornada com flores silvestres.

O destaque do salão é um carro de corrida Napier-Railton da década de 1930 e um modelo em escala do Concorde; os veículos velozes homenageiam a pista de corrida de Surrey que dá nome ao local, onde foram estabelecidos recordes de velocidade.Inauguração: 4 de outubro.

Solis, Battersea

Não haverá escassez de frango assado em Londres neste outono. Ele estará na frente e no centro, junto com o bife, no Solis, um local simples, com painéis de madeira escura, na Battersea Power Station, de Ana Gonçalves e Zijun Meng, o casal por trás do itinerante Ta Ta Eatery.

PUBLICIDADE

O cardápio é influenciado pela Espanha, Portugal, Argentina e especialmente pelo Uruguai, com muita culinária ao ar livre. Para começar, a entrada inclui ovos cozidos com recheio de atum temperado. O frango será servido com óleo de algas defumado. O cardápio de bebidas incluirá sangria e uma carta de vinhos com foco na América do Sul.

No final do ano, o Solis terá um novo vizinho na Power Station, o Tashas, a primeira unidade no Reino Unido da elegante rede com sede na África do Sul, que também é popular nos Emirados Árabes Unidos.

PUBLICIDADE

Em uma sala de jantar arejada e repleta de plantas, projetada pela fundadora Natasha Sideris com tecidos e produtos de designers sul-africanos, o cardápio apresentará os pratos básicos da rede, como frango com arroz temperado com manteiga de limão. Inauguração do Solis: 4 de outubro. Inauguração do Tashas: final do semestre.

The Wolseley City, centro

Quando for inaugurado na King William Street, o local será ainda maior do que o icônico em Piccadilly, mas semelhante em termos de vibração de grande café. O cardápio deve incluir os mesmos pratos que agradam ao público do original, como schnitzels de frango e salsicha, pratos de mariscos e steak tartare.

Da mesma forma, haverá café da manhã para o público da cidade que volta ao escritório. A inauguração marca o 20º aniversário do primeiro local; é também o segundo do Wolseley Hospitality Group desde a bem divulgada saída do cofundador Jeremy King. Inaguração: meados do segundo semestre.

PUBLICIDADE

Kolae, Borough Market

A cena da comida tailandesa em constante expansão em Londres está chegando ao Borough Market, cortesia de Mark Dobbie e Andy Oliver, a equipe por trás do popular restaurante Som Saa. Um dos pratos de assinatura será o frango grelhado, coberto com uma potente marinada de pimenta e capim-limão.

Também estão no cardápio: frutos do mar e legumes também cozidos no fogo; o molho de pimenta para todos os fins, nam phrik; e saladas animadas com aromas macerados.

Entre as bebidas, haverá coquetéis com ingredientes tailandeses, bem como cerca de 20 vinhos, além de cervejas e sidras. O restaurante de três andares ocupará uma antiga cocheira, com refeições ao ar livre no pátio. Inauguração: outubro.

PUBLICIDADE

Sushi by Masa, Harrods Dining Hall

A famosa loja de departamentos está mudando sua lista de opções de refeições. O Karma, de Vineet Bhatia, e o Sushi Bar desapareceram. As novas atrações principais são lideradas por uma lista de chefs internacionais de peso.

A chef Neha Mishra está abrindo o Kinoya Ramen Bar, uma unidade do seu local extremamente popular em Dubai. No cardápio, um tonkotsu exclusivo do Harrods, feito com caldo de porco de 12 horas e sal de bacon katsuobushi. Mas o maior nome é, sem dúvida, Masayoshi Takayama, mais conhecido como Masa.

Ele está abrindo a primeira unidade no Reino Unido de seu lendário local de sushi em Nova York com uma longa lista de sushis por peça e um menu do chef de 350 libras (US$ 425) que inclui 15 peças de nigiri. Você provavelmente não vai querer um coquetel para acompanhar o peixe, mas se quiser, há uma seleção que inclui o Torri Sunset, uma mistura de uísque japonês, flor de sabugueiro e purê de tangerina. Inauguração: 7 de outubro.

PUBLICIDADE

Aragawa, Mayfair

Em Tóquio, o Aragawa é conhecido pela carne premium que serve aos clientes há meio século. Em breve, seus bifes bem marmorizados chegarão a uma sala de jantar de dois andares e 26 lugares em Londres, onde serão cozidos em um forno feito sob medida.

A carne é proveniente de vacas Tajima da prefeitura de Hyogo, uma região que inclui Kobe. A lista de mais de 1.000 garrafas será abastecida com Grand Cru Burgundies e Bordeaux expostos em uma parede de vinhos que percorre o espaço. O luxo da carne terá um preço: as refeições com vinho custarão a partir de 750 libras (US$ 911). Inaguração: final de outubro.

Jamie Oliver Catherine Street, Covent Garden

Nos últimos anos, Jamie Oliver foi notícia por fechar restaurantes, e não por abri-los. Mas agora surge seu primeiro novo restaurante no Reino Unido em quatro anos, e o famoso chef optou por se instalar no centro de Covent Garden, no Theatre Royal Drury Lane.

Como era de se esperar, Oliver dará destaque aos ingredientes britânicos, obtendo produtos de fazendeiros locais e fornecedores de frutos do mar sustentáveis, e apresentará pratos clássicos, bem como aqueles criados especialmente para o novo restaurante. Quem comandará a cozinha é seu chef de longa data, Chris Shail; a confeitaria será supervisionada por Emma Jackson, ex-Soho Farmhouse. Inauguração: novembro.

Kinkally, Fitzrovia

Na Geórgia, o khinkali – bolinhos recheados com carne e artisticamente torcidos – é um prato local popular. A restauradora russa Diana Militski quer torná-lo igualmente popular em Londres. Em seu próximo estabelecimento na Charlotte Street, ela os servirá com recheios gourmet, como wagyu com trufas e faisão com cogumelos selvagens.

Além disso, haverá outras opções de pratos pequenos, como salada de beterraba defumada com caquis. No andar de baixo do restaurante – que tecnicamente se chama Kink(all)y – fica o Bar Kinky, onde os drinques não convencionais do barman Andrew Pruts incluirão um Old Fashioned com infusão de mel e chocolate. Inauguração: novembro.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Casa de Negócios: Presidente da P&G conta estratégia para manter marcas atuais