Americanas em crise? Lemann compra fatia em fundo dos EUA com outros bilionários

Brasileiro, um dos principais acionistas da Americanas, vai investir em conjunto US$ 175 milhões na compra de participação de 3,3% da Thrive Capital, de Josh Kushner

Grupo de bilionários investirá US$ 175 milhões na compra de uma participação de 3,3% na Thrive Capital
Por Brian Chappatta e Sarah McBride
24 de Janeiro, 2023 | 02:47 PM

Bloomberg — A crise envolvendo a Americanas (AMER3), com uma dívida estimada de US$ 43 bilhões com 16.300 credores, não impediu o bilionário Jorge Paulo Lemann, um dos acionistas de referência da varejista brasileira, de continuar fechando negócios em outras áreas. O brasileiro faz parte de um grupo de empresários bilionários com patrimônio de pelo menos US$ 123 bilhões que adquiriu participação na Thrive Capital, empresa de capital de risco americana fundada por Josh Kushner.

LEIA +
Caso Americanas é novo sinal de alerta em onda de demissões no Brasil

Lemann é um dos fundadores do 3G Capital e, junto de Marcel Telles e Carlos Alberto Sicupira, é um dos controladores da Americanas. Josh Kushner é filho do bilionário Charles Kushner e irmão mais novo de Jared Kushner, genro do ex-presidente Donald Trump que atuou como conselheiro sênior da Casa Branca durante seu governo.

Além de Jorge Paulo Lemann, também fazem parte do grupo de investidores que comprou participação na Thrive Capital o indiano Mukesh Ambani, o francês Xavier Niel, o co-fundador da KKR, Henry Kravis, e o CEO da Walt Disney, Robert Iger. Ao todo, o grupo investirá US$ 175 milhões na compra de uma participação de 3,3% na Thrive.

“Esses empresários extraordinários construíram instituições históricas, alcançaram predomínio geográfico, levaram marcas amadas a alturas ainda maiores e foram pioneiros em setores inteiramente novos”, disse a Thrive Capital em um comunicado publicado na terça-feira (24) no Medium.

PUBLICIDADE

O acordo avalia a Thrive em US$ 5,3 bilhões, acima dos US$ 3,6 bilhões em 2021, quando vendeu uma participação a uma unidade do Goldman Sachs, de acordo com uma porta-voz da Thrive, com sede em Nova York. Seu total de ativos sob gestão atingiu US$ 15 bilhões no ano passado.

A Thrive recomprou a participação vendida ao Goldman Sachs e a participação do novo sindicato é a mesma, disse Thrive no Medium. Os detalhes da venda da participação foram revelados pelo Wall Street Journal.

LEIA +
Twitter sofre ação por não pagar aluguel de seus escritórios em São Francisco

Os novos investidores na Thrive Capital são algumas das pessoas mais ricas de todo o mundo. Ambani é a 12ª pessoa mais rica do mundo, com uma fortuna de US$ 84,7 bilhões, de acordo com o Bloomberg Billionaires Index. Lemann, com patrimônio líquido de US$ 21,1 bilhões, é o indivíduo mais rico do Brasil. Kravis vale US$ 9,5 bilhões e Niel tem uma fortuna pessoal de US$ 8,1 bilhões, de acordo com o índice.

PUBLICIDADE

“Muitas dessas pessoas estão envolvidas na minha vida há bastante tempo”, disse Kushner, de 37 anos, em entrevista ao WSJ. “Agora eles realmente têm uma participação no sucesso da empresa.”

A Thrive foi fundada em 2009 por Josh Kushner. O grupo investiu em empresas como Oscar Health, Compass Affirm, Opendoor, Unity Software, Hims & Hers Health e SKIMS, uma empresa de roupas íntimas criada por Kim Kardashian.

Leia mais

Bancos vs. Americanas: Santander e Safra tentam suspender recuperação judicial

Quanto custa morar nos prédios mais caros do Rio de Janeiro e onde eles ficam