BlockFi entra com pedido de recuperação judicial nos EUA e agrava crise do setor

Plataforma de negociação de criptoativos busca proteção judicial em novo capítulo da crise no mercado com queda das cotações e onda de venda da parte de investidores

Site da BlockFi em notebook: plataforma pede proteção judicial diante de credores (Gabby Jones/Bloomberg)
Por Bloomberg News
28 de Novembro, 2022 | 12:39 PM

Bloomberg — A BlockFi, plataforma de negociação e custódia de criptoativos fundada em 2017 por Zac Prince and Flori Marquez, acaba de entrar nesta segunda-feira (28) com pedido de recuperação no Chapter 11 da lei de falências da justiça americana, segundo informações da Bloomberg News.

O pedido na Corte especializada no distrito de Nova Jersey abrange a BlockFi e oito de suas empresas associadas e representa novo capítulo na crise por que passa o mercado global de criptoativos, em decorrência de perda de confiança de investidores e queda acentuada dos preços.

A plataforma havia já suspendido resgates por parte de clientes. Segundo o documento, a BlockFi tem cerca de 100 mil credores e ativos e compromissos no intervalo entre US$ 1 bilhão e US$ 10 bilhões.

LEIA +
Exclusivo: Lemon Cash vendeu posição em fundo da FTX dias antes do colapso

A empresa foi avaliada pela última vez em US$ 4,8 bilhões, segundo informações do PitchBook.

PUBLICIDADE

Há duas semanas, uma das maiores empresas do setor, o FTX Group, de Sam Bankman-Fried, entrou com pedido de recuperação judicial, deixando milhares de investidores desamparados.

Segundo o pedido, a BlockFi tinha “exposição significativa” de ativos à FTX e à Alameda, a trading do grupo.

- Em atualização.

PUBLICIDADE

- Com informações da Bloomberg Línea.

Leia também

CEO da Binance explica plano de US$ 1 bi para evitar colapso do mercado cripto

A história do fundo global que investiu e perdeu US$ 95 mi com o colapso da FTX