Mercados

Futuros na Ásia operam mistos com mercados avaliando balanços

Investidores aguardam ainda dados do mercado de trabalho americano medidos pelo Payroll amanhã (5)

Índices recuavam no Japão e rondavam a estabilidade na Austrália, enquanto avançavam em Hong Kong
Por Sunil Jagtiani
04 de Agosto, 2022 | 08:16 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — As ações na Ásia apontam para uma abertura sob cautela na sexta-feira, com os traders avaliando a última leva de balanços e as perspectivas econômicas agitadas em meio a uma onda global de aperto monetário e inflação punitiva.

Os futuros caíam no Japão e rondavam a estabilidade na Austrália. Mercados estão esperando para ver se um salto nas ações de tecnologia chinesas listadas nos Estados Unidos - estimulado por resultados melhores do que o temido do Alibaba Group (BABA) - transborda para a bolsa de Hong Kong. Os futuros dos EUA flutuavam depois que o S&P 500 fechou pouco alterado.

Os títulos do Tesouro obtiveram ganhos modestos, deixando o rendimento de 10 anos em 2,69%. A inversão entre os rendimentos de dois anos e de 10 anos permaneceu perto do maior nível desde 2000, indicando preocupações com uma recessão.

A presidente do Fed de Cleveland, Loretta Mester, reiterou a determinação do banco central dos EUA em reprimir as pressões de preços. Nesta quinta-feira (4), o Banco da Inglaterra anunciou sua maior alta de juros em 27 anos e alertou para uma contração econômica prolongada.

PUBLICIDADE

Uma política mais rígida está alimentando a angústia econômica e minando ativos como o petróleo, que estendeu uma queda abaixo de US$ 90 para níveis vistos pela última vez antes da guerra da Rússia na Ucrânia. O ouro, por sua vez, manteve um avanço em parte por causa da tensão EUA-China sobre Taiwan.

Um índice global de ações aponta para um terceiro avanço semanal em uma recuperação das mínimas, ajudado pelos lucros corporativos. A durabilidade do salto permanece em dúvida devido aos aumentos das taxas do banco central e ameaças geopolíticas.

“Achamos que é um pouco cedo para dizer que o risco está fora da mesa”, disse Carol Schleif, vice-diretora de investimentos da BMO Family Office LLC, à Bloomberg Television. “Achamos que há uma desaceleração significativa começando a ocorrer em algumas partes da economia.”

O próximo ponto de dados chave para os mercados é o relatório emprego Payroll dos EUA amanhã (5). As contratações provavelmente diminuíram em julho, mas o mercado de trabalho continua consistente com uma economia americana em expansão, e não em recessão, e o Fed continuará com os aumentos das taxas, segundo Anna Wong, economista-chefe dos EUA da Bloomberg Economics.

PUBLICIDADE

Os investidores também continuam monitorando as consequências da visita da presidente da Câmara dos EUA, Nancy Pelosi, a Taiwan. A China, que considera a ilha autogovernada como parte de seu território, teria disparado mísseis sobre Taiwan durante exercícios militares nesta quinta-feira (4). Se confirmado, isso marcaria uma grande escalada.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Exclusivo: Investidores não devem mudar de opinião todo dia, diz Howard Marks

PUBLICIDADE