PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

Powell: Fed subestimou a inflação após a chegada das vacinas

Presidente do BC americano disse ontem, em depoimento ao Senado, que há risco de recessão para a economia

Jerome Powell
23 de Junho, 2022 | 11:18 am
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg Línea — Após uma das declarações mais contundentes até aqui sobre os riscos de contração da economia dos Estados Unidos, o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, voltou a falar com congressistas americanos sobre o aumento dos juros no país. Durante a resposta às colocações da senadora republicana Ann Wagner, Powell declarou que, “com o benefício da retrospectiva”, o Fed subestimou o avanço da inflação no final da pandemia.

PUBLICIDADE

Ele também disse que a luta contra a inflação é “incondicional” e que é “significativamente mais desafiador” reduzir a inflação sem impactar o mercado de trabalho.

O depoimento desta quinta-feira (23) acontece perante à Câmara dos Representantes do Congresso americano.

PUBLICIDADE

As taxas de juros nos Estados Unidos foram elevadas na última semana em 0,75 ponto percentual, no maior aumento desde 1994, em 28 anos. A taxa está atualmente no intervalo entre 1,50% e 1,75% e, segundo as estimativas dos integrantes do FOMC (Comitê Federal de Mercado Aberto), deve chegar a 3,8% ao fim de 2023.

Veja os comentários de Powell na sessão desta quinta:

PUBLICIDADE
  • Não queremos que uma stablecoing privada se torne um dólar digital
  • Está chegando a hora da regulamentação de stablecoins e finanças digitais, é importante fazê-lo rapidamente
  • Eu seria relutante em cortar as taxas [de juros]
  • O crescimento este ano ainda deve ser bastante forte
  • Os EUA estão em um caminho fiscal insustentável
  • Os mercados financeiros têm funcionado bem, o sistema bancário é muito forte e bem capitalizado
  • Planejamos trabalhar no lado político e tecnológico nos próximos anos
  • Estamos fazendo um grande trabalho explorando a moeda digital do banco central, mas devemos explorar isso como um país
  • O caminho ficou mais desafiador devido aos preços dos alimentos e dos combustíveis
  • Nossa intenção é alcançar um pouso suave, mas o caminho para fazer isso tem se tornado cada vez mais desafiador
  • O Fed girou quando viu que a inflação do lado da oferta não diminuiu
  • Com a sinalização do fim da pandemia, as vacinas no horizonte, a expectativa era que os preços parassem de subir
  • Com o benefício da retrospectiva, o Fed subestimou a inflação
  • O mercado de trabalho está superaquecido
  • Existe o risco de que o desemprego suba, mas lembre-se, é de um nível historicamente baixo
  • A inflação nos EUA é consequência de uma demanda muito forte
  • É possível ter um mercado de trabalho forte e ao mesmo tempo conter a inflação
  • O desafio agora é que estamos apertando [a política monetária], o que deve reduzir o crescimento
  • Os EUA têm uma economia muito forte e bem recuperada
  • Os efeitos do encolhimento do balanço patrimonial serão marginais em comparação com o impacto do aumento das taxas de juros
  • É significativamente mais desafiador reduzir a inflação sem impactar o mercado de trabalho
  • Precisamos de um período sustentado de emprego máximo e reduzir a inflação é necessário para fazer isso
  • O mercado de trabalho está insustentavelmente aquecido
  • Temos um compromisso incondicional de combater a inflação
  • À medida que a economia volta ao normal, esperamos que as margens de lucro [das empresas] também se normalizem
  • Está claro que nossa economia se tornou mais concentrada

--Mais atualizações a seguir

Leia também

PUBLICIDADE

Vale e siderúrgicas puxam Ibovespa, com mercados à espera de nova fala de Powell

Hora da virada para a Vale? Minério de ferro se recupera após promessa de Xi

Ana Siedschlag

Ana Carolina Siedschlag

Editora na Bloomberg Línea. Jornalista brasileira formada pela Faculdade Cásper Líbero e especializada em finanças e investimentos. Passou pelas redações da Forbes Brasil, Bloomberg Brasil e Investing.com.