PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Linha Executiva

Crise chega a Wall Street: JPMorgan demite centenas de funcionários

Cortes e realocações envolvem mais de mil trabalhadores de áreas ligadas a empréstimos imobiliários do banco

Vendas de casas nos Estados Unidos caíram pelo quarto mês em maio para o nível mais baixo em quase dois anos
Por Hannah Levitt
22 de Junho, 2022 | 08:04 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — O JPMorgan (JPM) está demitindo centenas de funcionários de áreas ligadas a empréstimos imobiliários e realocando centenas de outros nesta semana, à medida que o rápido aumento das taxas de hipotecas reduzem a demanda no que havia sido um setor aquecido.

PUBLICIDADE

O total afetado será de mais de mil trabalhadores norte-americanos, com cerca de metade transferido para outras divisões dentro do banco, segundo pessoas familiarizadas com o assunto que pediram para não serem identificadas.

“Nossa decisão de contratação desta semana foi resultado de mudanças cíclicas no mercado de hipotecas”, disse um porta-voz do JPMorgan em comunicado nesta quarta-feira (22). “Conseguimos mover proativamente muitos funcionários afetados para novas funções dentro da empresa e estamos trabalhando para ajudar os restantes a encontrar um novo emprego no Chase e externamente.”

PUBLICIDADE

Os cortes seguem a decisão do Federal Reserve de aumentar as taxas de juros para domar a inflação de décadas. Na semana passada, o Fed anunciou um aumento de 75 pontos-base, o maior aumento desde 1994. As taxas de hipoteca de trinta anos já mais que dobraram em relação ao recorde de baixa em janeiro de 2021.

O rápido aumento dos juros começou a esfriar um mercado imobiliário que atingiu um frenesi durante a pandemia. As vendas de casas nos Estados Unidos caíram pelo quarto mês em maio para o nível mais baixo em quase dois anos, segundo dados da Associação Nacional de Corretores de Imóveis divulgados esta semana.

O Wells Fargo (WFC), o maior credor hipotecário entre os bancos norte-americanos, também está demitindo e realocando funcionários em sua divisão de empréstimos imobiliários, segundo pessoas familiarizadas com a empresa, que pediram para não serem identificadas ao discutir informações privadas.

No início deste mês, empresas como Compass e Redfin (RDFN) anunciaram planos para reduzir sua força de trabalho em meio ao arrefecimento do mercado imobiliário dos EUA. A Compass disse em documento regulatório que cortará cerca de 10% do quadro, ou cerca de 450 funcionários, enquanto a Redfin planeja demitir cerca de 6%, totalizando cerca de 470 trabalhadores.

Veja mais em Bloomberg.com

PUBLICIDADE

Leia também

Fundos contra risco cambial global brilham com alta volatilidade