PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Internacional

O restaurante histórico de Hong Kong que afundou a caminho da manutenção

Após acumular perdas desde 2013, o Jumbo Floating Restaurant teve destino trágico a caminho da manutenção

Em 14 de junho, embarcação foi rebocada para manutenção
Por Hayley Wong e K. Oanh Ha
21 de Junho, 2022 | 11:39 am
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — O Jumbo Floating Restaurant, um marco de Hong Kong, afundou no Mar do Sul da China após ser rebocado para um destino desconhecido fora da cidade.

PUBLICIDADE

A embarcação em forma de palácio imperial tombou no domingo (19) após inundar em condições adversas perto das Ilhas Paracel, segundo sua proprietária, a Aberdeen Restaurant Enterprises, em declaração. O resgate seria “extremamente difícil”, considerando a profundidade de mil metros, disse a Aberdeen, acrescentando que nenhum membro da tripulação foi ferido.

Por mais de quatro décadas, o restaurante foi uma visão familiar no porto de Aberdeen, no lado sul da ilha de Hong Kong. Inaugurado pelo magnata dos cassinos de Macau, Stanley Ho, em 1976, o restaurante atraiu visitantes, incluindo a Rainha Elizabeth II e Tom Cruise, de acordo com o site do restaurante. Também foi exibido em filmes, incluindo em Contágio. Mas sua atração diminuiu nos últimos anos, e a pandemia forçou o restaurante a suspender as operações.

PUBLICIDADE

Sua proprietária, uma unidade da Melco Resorts & Entertainment, havia tentado doar o restaurante para um parque de diversões, mas o plano não se concretizou, disse a empresa em declaração.

O restaurante vinha acumulando US$ 12,7 milhões em prejuízos desde 2013, disse a proprietária no mês passado. Os milhões de dólares gastos anualmente para reparar e manter o restaurante haviam se tornado “um fardo pesado para a empresa e seus acionistas”, de acordo com o comunicado.

A empresa planejava levar o restaurante para fora da cidade para manutenção e armazenamento enquanto buscava novos proprietários e um ancoradouro mais barato.

A Aberdeen Restaurant está “muito triste com o acidente”, de acordo com a declaração. “A empresa está agora recebendo mais detalhes sobre o acidente da empresa de reboque”.

O trágico destino de uma atração tão conhecida, mesmo acumulando prejuízos, intensifica o humor negativo da cidade. Turistas e cidadãos estão viajando partindo em massa conforme as restrições de viagem aparentemente intermináveis e o aperto de Pequim prejudica o futuro de Hong Kong como centro financeiro internacional. A falta de visitantes afetou as empresas que dependem do turismo – outro símbolo da ilha, a Star Ferry, também está dando sinais de problemas financeiros.

PUBLICIDADE

--Com a colaboração de Bei Hu e Young-Sam Cho.

--Este texto foi traduzido por Bianca Carlos, localization specialist da Bloomberg Línea.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Excesso de otimismo de usinas chinesas derruba minério de ferro

Fim do boom chinês? Mesmo sem lockdown, indústria de Pequim despenca 40% em maio