PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Estilo de vida

Beyoncé lança música para anseios dos millennials: é hora de pedir demissão?

Cantora lançou “Break My Soul” como ode a milhões de americanos que pediram demissão no último ano – período chamado de Great Resignation

Cantora lançou o single "Break My Soul" nesta segunda-feira (20)
Por Jo Constantz
21 de Junho, 2022 | 06:53 pm
Tempo de leitura: 3 minutos

Bloomberg — O novo single de Beyoncé parece um hino de poder ao Great Resignation, fenômeno que acometeu os Estados Unidos nos últimos meses, no qual trabalhadores deixaram seus empregos por salários melhores.

A letra da música Break My Soul fala aos milhões de americanos que deixaram seus empregos no último ano em busca de melhores oportunidades com o desemprego em uma baixa recorde. Em abril, 4,4 milhões de trabalhadores deixaram seus empregos nos Estados Unidos, mesmo com o aumento do medo de uma recessão.

A primeira estrofe fala dos impulsos de muitos americanos. A seguir, a tradução livre dos versos: “Agora acabei de me apaixonar / E acabei de deixar meu emprego / Vou encontrar uma nova motivação / Eles me fazem trabalhar tanto / Começar às nove / Sair às cinco / E me irritar / É por isso que não consigo dormir à noite”.

A nova canção de Beyoncé fala muito sobre o momento pelo qual estamos passando. Great Resignation, encontrar a verdadeira felicidade, iniciar novos negócios/carreira, escrever nossas próprias histórias. Com certeza vai repercutir.

PUBLICIDADE

A canção, que foi lançada na segunda-feira (20), faz parte de seu novo álbum, Renaissance: Act 1, que deve ser lançado em 29 de julho.

Mais de dois anos após o início da pandemia, o mercado de trabalho ainda está em turbulência. Na terça-feira (21), 10 mil trabalhadores do metrô de Londres entraram em greve no Reino Unido por melhores salários, forçando mais de 1 milhão de londrinos a trabalharem de casa. Nos EUA, os esforços de sindicalização nas grandes empresas estão em ascensão, e os trabalhadores estão expressando indignação e elaborando estratégias para melhores salários e benefícios em lugares como o fórum AntiWork do Reddit, com 2 milhões de membros.

A letra da canção de Beyoncé pode repercutir mais para as mulheres. Um estudo da Deloitte constatou que elas são especialmente propensas a sofrer burnout após ter de cuidar dos filhos, além de trabalhar durante o lockdown da pandemia. A canção deve repercutir por todo o mundo: um em cada cinco trabalhadores provavelmente vai procurar um novo emprego no próximo ano, segundo a pesquisa da PwC Global Workforce Hopes and Fears (Esperanças e Medos da Força de Trabalho Global, em tradução livre). O maior motivador? Um salário melhor.

O single evoca temas da era da discoteca dos anos 70, quando os hinos – como Workin’ Day and Night, de Michael Jackson, e Stayin’ Alive, do Bee Gees – apelavam para a frustração que os trabalhadores sentiam em uma economia assolada pela estagflação, encorajando-os a dançar a noite toda. Um rap de Big Freedia destaca as frustrações dos trabalhadores de hoje, que sofrem com baixos salários, longas jornadas e inflação crescente, que dificultam a sobrevivência. A seguir, a tradução livre dos versos: “Liberte sua raiva, liberte sua mente / Liberte seu emprego, liberte o tempo / Liberte seu comércio, liberte o estresse / Liberte o amor, esqueça o resto”.

PUBLICIDADE

Beyoncé está me mandando pedir demissão

A segunda estrofe da canção alude ao empreendedorismo. A seguir, a tradução livre dos versos: “Motivação / Estou procurando uma nova fundação / Estou nessa nova vibração / E construindo minha própria fundação”.

Mais pessoas estão tentando virar seus próprios chefes desde que a pandemia afetou o trabalho e a vida. Em 2021, os americanos registraram 5,4 milhões de novas empresas, de acordo com um relatório da Casa Branca – número mais de 20% maior que em qualquer ano registrado.

Com economistas e bilionários sinalizando que a economia americana pode estar caminhando para a recessão, Beyoncé ainda é uma boa aposta, de acordo com a diretora de investimentos do Goldman Sachs Asset Management, Katie Koch. Os consumidores continuam gastando seletivamente durante as recessões, principalmente com experiências, tornando artistas populares como Beyoncé – e os locais de eventos onde ela faz seus shows – praticamente à prova de recessão, disse.

Beyoncé percebeu que este é o verão de burnout dos millennials, do movimento trabalhista, do renascimento dos anos 90, e do orgulho LGBT e disse: “Sim, eu posso fazer uma canção sobre isso”.

--Este texto foi traduzido por Bianca Carlos, localization specialist da Bloomberg Línea.

PUBLICIDADE

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Ebanx demite 20% dos funcionários e cita cenário macro como razão

Unicórnios da América Latina são avaliados bem acima de suas receitas