PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Estilo de vida

Beyoncé é à prova de recessão, aposta gestora chefe do Goldman

Conforme especialista, empresas de shows ao vivo têm resistido bem a recessões e conseguido aumentar receitas

Katie Koch diz que haverá oportunidades nos espaços de tecnologia e inovação novamente
Por Michael Regan e Vildana Hajric
13 de Maio, 2022 | 12:22 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — Investidores de todos os lados lutam para descobrir a melhor maneira de se defenderem em meio a preocupações de que uma recessão esteja no horizonte. Uma das principais executivas da Goldman Sachs Asset Management tem uma ideia surpreendente: Beyoncé.

Katie Koch, diretora-chefe de investimentos em renda variável da GSAM, brinca dizendo que a cantora e compositora “Beyoncé é à prova de recessão”, assim como outras estrelas.

PUBLICIDADE

É por isso que os portfólios que ela supervisiona detêm ações de empresas de shows ao vivo nos Estados Unidos e na Europa. Embora a Live Nation Entertainment tenha sido duramente atingida durante os lockdowns de covid-19, ela ressalta que a empresa realmente resistiu bem à última recessão e conseguiu aumentar a receita em 2008 e 2009.

“O consumidor vai gastar em uma recessão”, diz ela, mas “será bastante seletivo.” Outro exemplo são os produtos de beleza, acrescentou.

Koch não concorda com a noção de que não dá para investir na China: “Você pode comprar ativos aqui nos EUA, bem como ativos na China que estão excessivamente descontados por algo que sabemos que eventualmente vai dar certo, que é que a economia vai reabrir.”

PUBLICIDADE

Koch participou do episódio desta semana do podcast “What Goes Up” da Bloomberg News para discutir a situação dos mercados e por que, apesar dos preços das ações que caíram no ano passado, investir em empresas inovadoras ainda é uma boa ideia a longo prazo.

O índice Nasdaq 100, centrado em tecnologia, perdeu mais de um quarto de seu valor desde o início do ano. Koch diz que haverá oportunidades nos espaços de tecnologia e inovação novamente.

“Essas coisas vão funcionar e vão funcionar muito, muito bem. É apenas no momento que foram deslocadas”, disse.

“A correção recente fornece alguns pontos de entrada realmente atraentes para obter exposição à tecnologia”, disse Koch. “A tecnologia está em baixa no momento, mas não está fora. Não desista dela.”

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDADE

Musk volta atrás após dizer que compra do Twitter estaria ‘temporariamente suspensa’

EXCLUSIVO: Procuradoria apura se apps usam acordos trabalhistas para distorcer jurisprudência

Últimas Brasil
PUBLICIDADE