PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

Ibovespa sobe acompanhando bom humor externo

Mercados repercutem flexibilização de bloqueios na China, nova leitura do PIB na zona do euro e monitoram desempenho de commodities

Bolsas globais sobem nesta terça (17), em dia de bom humor.
17 de Maio, 2022 | 10:32 am
Tempo de leitura: <1 minuto

Bloomberg Línea — O Ibovespa (IBOV) iniciou o pregão desta terça-feira (17) em alta, em meio a um tom positivo nos mercados dado um fluxo de notícias mais favorável advindo da China e da zona do euro. O dólar, por sua vez, recuava, negociado abaixo de R$ 5, devido à menor aversão ao risco.

Na China, o alastramento da covid-19 em Xangai ficou sob controle pelo terceiro dia consecutivo, impulsionando o otimismo de investidores após um longo período de lockdowns na região.

Já na Europa, uma nova leitura do Produto Interno Bruto (PIB) do primeiro trimestre trouxe dados melhores do que o esperado, apontando uma resiliência da economia do bloco frente aos desafios com a pandemia e guerra na Ucrânia.

O cenário de melhora do humor global também contribui para uma valorização do petróleo, com o barril negociado próximo dos US$ 114.

PUBLICIDADE

Confira o desempenho dos mercados na manhã desta terça-feira (17):

  • Por volta das 10h20 (horário de Brasília), o Ibovespa subia 1,23%, aos 109.530 pontos;
  • O dólar à vista caía 1,8%, a R$ 4,97;
  • Entre os contratos de juros futuros, o DI para 2025 operava estável, a 12,42%
  • Nos EUA, os índices futuros ensaiavam uma recuperação: o do Dow Jones subia 1,27%, o do S&P 500 avançava 1,58%, enquanto o da Nasdaq tinha alta de 1,93%;
  • Na Europa, o movimento também era de alta: o índice Dax, da Alemanha, subia 1,37%, enquanto o CAC-40, de Paris, avançava 1,24%;

Leia também:

David Vélez: ‘A maioria dos acionistas não vai vender suas ações com fim do lock-up’

Mariana d'Ávila

Mariana d'Ávila

Redatora na Bloomberg Línea. Jornalista brasileira formada pela Faculdade Cásper Líbero, especializada em investimentos e finanças pessoais e com passagem pela redação do InfoMoney.