Mercados

Ibovespa descola do exterior e passa a subir, enquanto dólar apaga alta

O dólar, que encostava nos R$ 5,20 pela manhã, apagou ganhos e oscilava em torno da estabilidade já no início da tarde

Os principais índices de ações dos EUA perderam US$ 6,3 trilhões em valor desde a alta de 29 de março
12 de Maio, 2022 | 01:27 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg Línea — Os mercados domésticos viraram no início da tarde e descolaram do exterior, com impulso de papéis de bancos, favorecidos pelos balanços do setor, e Magazine Luiza (MGLU3). O dólar, que encostava nos R$ 5,20, apagou ganhos e oscilava em torno da estabilidade perto das 13h00. A aversão ao risco global ficou de lado por aqui, enquanto nos Estados Unidos os índices acionários seguiam no vermelho.

O contínuo sell-off nas bolsas globais, juntamente à queda das criptomoedas, são consequências dos registros de inflação teimosamente alta, que está levando bancos centrais das maiores economias a apertarem os juros para conter os preços - minando as expectativas de crescimento econômico para este ano.

  • O Ibovespa subia 0,44% perto das 13h15, aos 104.853 pontos
  • O dólar caía 0,10%, a R$ 5,13
  • Nos EUA, o Dow Jones, assim como o S&P 500, caía 0,93%, enquanto o Nasdaq caía 0,8%

Contexto externo

As ações caíam lá fora em mais uma sessão de oscilações exaustivas, enquanto os títulos do Tesouro subiram ao lado do dólar, uma vez que a preocupação com as perspectivas econômicas aumentou o fascínio dos ativos de refúgio.

Depois de não conseguir manter os ganhos, o S&P 500 retomou suas perdas. A robusta Apple (AAPL) da era pandêmica afundou mais de 20% em relação ao pico de janeiro. A cautela prevaleceu em Wall Street depois que os dados mostraram que os preços pagos aos produtores dos EUA subiram mais do que o previsto em abril, reforçando as apostas de que o Federal Reserve manterá seu firme controle da política monetária.

PUBLICIDADE

Os principais índices de ações dos EUA perderam US$ 6,3 trilhões em valor desde a alta de 29 de março devido a preocupações com uma queda econômica em meio ao aumento da inflação e das taxas.

Estrategistas do Citigroup disseram que as ações de crescimento, incluindo o setor de tecnologia, provavelmente permanecerão sob pressão, à medida que os bancos centrais apertarem a política monetária. Mark Mobius disse à CNBC que o S&P 500 “provavelmente vai cair”, acrescentando que “não estamos no fundo, mas podemos estar no início de um. Um fundo precisa que todos desistam da esperança.”

Sell-off de cripto

A volatilidade contínua nas criptomoedas, que viu o Bitcoin despencar nesta manhã antes de se recuperar, continua em meio à incerteza sobre o destino das stablecoins.

A stablecoin Tether, muito mais amplamente usada, que afirma ser lastreada em ativos reais, incluindo o dólar americano, também viu sua paridade ser atingida. A queda do Bitcoin, em meio a um movimento global muito mais amplo de aversão ao risco, novamente questiona o papel das criptomoedas como proteção contra a inflação.

PUBLICIDADE

Leia também

Sell-off de cripto tem fim? E outras 4 perguntas para começar o dia

Por que XP, Nubank e BTG vão oferecer negociação de cripto agora?

Kariny Leal

Kariny Leal

Jornalista carioca, formada pela UFRJ, especializada em cobertura econômica e em tempo real, com passagens pela Bloomberg News e Forbes Brasil. Kariny cobre o mercado financeiro e a economia brasileira para a Bloomberg Línea.

PUBLICIDADE