PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Cripto

Coinbase afirma que não há risco de falência, mesmo com queda generalizada

CEO da exchange publicou pedido de desculpas após queda das ações da empresa com trimestre decepcionante

Executivo garantiu que vai oferecer as mesmas garantias para todos os clientes da exchange
Por Tim Smith
11 de Maio, 2022 | 12:49 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — O CEO da Coinbase (COIN), Brian Armstrong, afirmou que “não há risco de falência” para a maior exchange de criptomoedas dos Estados Unidos, mesmo em meio a um evento de queda generalizada que incluiu a queda do Bitcoin (XBT) para menos de US$ 30 mil na terça-feira (10) pela primeira vez desde meados de 2021.

A Coinbase tomará medidas adicionais para garantir a oferta de proteção para seus clientes de varejo que correspondam àquelas oferecidas aos consumidores Prime e Custody, disse Armstrong no Twitter na terça-feira.

PUBLICIDADE

“Deveríamos ter atualizado nossos termos de varejo mais cedo e não nos comunicamos proativamente quando essa divulgação de risco foi adicionada”, escreveu Armstrong. “Minhas mais profundas desculpas.”

As ações da empresa caíram 16% após o trading regular de ontem (10), após divulgação da receita do primeiro trimestre abaixo das estimativas dos analistas.

1/ Há rumores sobre uma divulgação que fizemos após nosso primeiro trimestre sobre como mantemos criptoativos. Em resumo, seus fundos estão seguros na Coinbase, assim como sempre estiveram.

PUBLICIDADE

2/ Não há risco de falência, mas incluímos um novo fator de risco baseado em um requisito da SEC chamado SAB 121, que é uma divulgação recentemente exigida para empresas de capital aberto que detêm ativos criptográficos para terceiros.

3/ Acreditamos que nossos clientes Prime e Custody têm fortes proteções legais em seus termos de serviço que protegem seus ativos, mesmo em um evento de derretimento como este.

4/ Para nossos clientes de varejo, estamos tomando outras medidas para atualizar nossos termos de forma que ofereçamos as mesmas proteções a esses clientes em um evento desse tipo. Deveríamos ter estabelecido isso antes, então peço desculpas por isso.

5/ Essa divulgação faz sentido, pois essas proteções legais não foram testadas em tribunal especificamente para criptoativos, e é possível, embora improvável, que um tribunal decida considerar os ativos do cliente como parte da empresa em processos de falência.

6/ Deveríamos ter atualizado nossos termos de varejo mais cedo e não nos comunicamos proativamente quando essa divulgação de risco foi adicionada. Minhas mais profundas desculpas e que tenhamos um bom momento de aprendizado quando fizermos mudanças futuras.

7/ Por fim, é claro que oferecemos uma solução de carteira com autocustódia (Coinbase Wallet) para aqueles que preferem armazenar suas próprias criptomoedas. Nosso objetivo é criar as melhores soluções de custódia e autocustódia de criptoativos – cada uma traz seus próprios riscos e benefícios, e é importante...

PUBLICIDADE

8/ ...que os clientes possam escolher a melhor solução para suas necessidades. Continuaremos trabalhando para melhorar a proteção do cliente em todos os nossos produtos em ambas as categorias.

--Este texto foi traduzido por Bianca Carlos, localization specialist da Bloomberg Línea.

Veja mais em Bloomberg.com

PUBLICIDADE

Leia também

Mercados operam no azul enquanto aguardam dados de inflação nos EUA

AGORA: Gol e Avianca anunciam acordo para unir negócios

Últimas BrasilCriptomoedascriptoCoinbase
PUBLICIDADE