PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Cripto

Bitcoin se recupera após cair brevemente abaixo de US$ 30 mil

Maior aversão ao risco por conta do avanço da inflação no mundo recua nesta terça-feira

O maior token digital do mundo avançava 5,5%
Por Sidhartha Shukla
10 de Maio, 2022 | 07:54 am
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — O Bitcoin se recuperou de uma breve queda abaixo de US$ 30.000, à medida que a venda de ações diminuiu e uma onda de calma invade os mercados globais.

O maior token digital do mundo subiu até 5,4% nesta terça-feira (10) e era negociado a US$ 31.904 às 8h15, horário de Londres. O Ether avançou 6,4%, enquanto moedas como Solana e Avalanche também operavam no verde. A recuperação das criptomoedas acontece enquanto as ações avançam em toda a Europa, destacando como as duas classes de ativos estão sendo negociadas em conjunto.

PUBLICIDADE

A recente queda do Bitcoin o levou a níveis vistos pela última vez em meados de 2021, revertendo um mercado em alta que atingiu o pico em novembro. Se a calma vai durar é uma questão em aberto. Apertar a política monetária para combater a inflação descontrolada está restringindo a liquidez, criando um obstáculo formidável para ativos especulativos como criptomoedas.

Michael Novogratz, o investidor bilionário de criptomoedas que lidera a Galaxy Digital, alertou que espera que as coisas piorem antes de melhorar. Um dos desafios enfrentados pelos ativos digitais é que eles estão cada vez mais sendo negociados de acordo com as ações de tecnologia, que estão sendo prejudicadas pelo aumento das taxas de juros.

“Provavelmente, as criptomoedas são negociadas correlacionadas ao Nasdaq até atingirmos um novo equilíbrio”, disse Novogratz na teleconferência de resultados do primeiro trimestre da Galaxy na segunda (9), acrescentando que os investidores podem ver “um mercado muito instável, volátil e difícil pelo menos nos próximos trimestres antes as pessoas estão percebendo que estamos em um equilíbrio.”

PUBLICIDADE

O mercado de criptomoedas também está monitorando a TerraUSD, uma stablecoin algorítmica que visa manter uma indexação de um para um ao dólar. A paridade parecia se desgastar, com o valor do token caindo perto de 60 centavos de dólar antes de subir acima de 90 centavos na terça-feira.

Do Kwon, fundador da Terraform Labs, que alimenta a blockchain Terra, está se movendo para fortalecer a stablecoin. A Luna Foundation Guard, a associação criada para apoiar o token descentralizado e o blockchain Terra, disse que emitirá empréstimos no valor de cerca de US$ 1,5 bilhão em Bitcoin e TerraUSD para ajudar a fortalecer a paridade do TerraUSD.

Kwon chamou a atenção do mundo das criptomoedas no início deste ano, prometendo comprar até US$ 10 bilhões em Bitcoin para sustentar o TerraUSD. A moeda Luna, que funciona em conjunto com o TerraUSD, caiu cerca de 50% nas últimas 24 horas, segundo dados da CoinGecko.

Últimas BrasilcriptoCriptomoedasBitcoin
PUBLICIDADE