Cripto

Bitcoin cai para menor patamar em 11 meses e TerraUSD estende perdas

Aumentos de juros ao redor do mundo, na tentativa de conter a inflação, têm criado um ambiente desfavorável para ativos de risco

Criptomoedas e outros ativos mais arriscados estiveram sob pressão ao longo do ano
Por Vildana Hajric
11 de Maio, 2022 | 12:27 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — O Bitcoin (BTUSD) caiu abaixo de US$ 30.000 e atingiu seu nível mais baixo desde junho, enquanto a stablecoin TerraUSD continuou sua espiral descendente.

A maior criptomoeda do mundo por valor de mercado chegou a cair mais de 6% nesta quarta-feira (11), sendo negociada a US$ 29.085, no menor patamar em 11 meses. Os analistas miravam o nível dos US$ 30.000 como um limite importante, com muitas perdas projetadas que poderiam acelerar quando a moeda caísse abaixo disso.

Enquanto isso, a stablecoin algorítmica TerraUSD continuou sua espiral descendente, sendo negociada abaixo de 30 centavos. Os apoiadores da moeda estão tentando arrecadar cerca de US$ 1,5 bilhão para sustentar o token depois que ele caiu em relação ao dólar, de acordo com um fundador da empresa que falou sobre o acordo.

Outras criptomoedas também caíram: o bitcoin cash perdeu mais de 11% e o dash, quase 16%.

PUBLICIDADE
A moeda digital ficou abaixo do nível observado nos últimos 11 mesesdfd

A queda ocorreu depois que os dados mostraram que os preços ao consumidor nos Estados Unidos subiram mais do que o esperado em abril, indicando que a inflação permanecerá elevada por mais tempo. Os dados também sugerem que o Federal Reserve permanecerá em seu caminho de aumentos agressivos das taxas de juros.

“Existe um medo extremo no mercado de criptomoedas”, disse Marcus Sotiriou, analista da corretora de ativos digitais GlobalBlock, sediada no Reino Unido. “Além dos ventos contrários macroeconômicos em andamento, agora existe um risco fundamental para a indústria de criptomoedas, já que a stablecoin UST saiu de US$ 1.”

Criptomoedas e outros ativos mais arriscados estiveram sob pressão ao longo do ano. O Federal Reserve e outros bancos centrais estão aumentando as taxas de juros para combater a inflação em brasa, criando um ambiente desfavorável para ativos de risco.

O Índice de Força Relativa do bitcoin está agora em 21, mostrando que está em seu nível mais vendido desde janeiro. A moeda agora precisa ficar acima de US$ 28.000. Uma queda abaixo desse nível pode iniciar uma nova onda de vendas.

PUBLICIDADE

Ainda assim, muitos investidores de criptomoedas – cientes do fato de que o bitcoin já passou por ciclos de alta e baixa apenas para se recuperar repetidamente das perdas – pregam paciência.

-- Com a colaboração de Sidhartha Shukla e Ken Sexton

Veja mais em bloomberg.com

Leia também:

A aposta de mais US$ 100 milhões do QED na Solfácil para criar um ecossistema de energia solar

Como Musk vai comprar o Twitter? Mais um financiamento de US$ 1 bi está a caminho

PUBLICIDADE