PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Finanças pessoais

Poupar ou investir, qual é a melhor opção?

Embora pareçam semelhantes, é importante diferenciar os métodos para aproveitá-los ao máximo e saber quando escolher cada um

Confira quando optar por cada método e como não falhar
06 de Maio, 2022 | 01:12 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg Línea — Economizar ou investir? Com certeza você já se perguntou isso pelo menos uma vez na vida, e é importante que você aprenda a diferenciar os conceitos para tomar decisões com seu bem-estar financeiro em mente.

Embora as despesas diárias possam fazer com que a resposta a essa pergunta pareça desafiadora, a verdade é que há uma série de dicas que podem ajudá-lo a fazê-lo. Mas antes de entrar em detalhes, é fundamental identificar bem do que se trata cada conceito.

PUBLICIDADE

Na prática, poupar consiste em separar uma parte da renda que não será usada no presente para guardá-la para uso futuro, explicam especialistas da fintech Tyba, acrescentando que investir significa ter esse dinheiro economizado ou parte dele para gerar lucros no futuro.

O investimento pode ser feito por meio de seu próprio negócio, fundos de investimento, cotas, entre outros. Em outras palavras, investir significa todas as formas de colocar seu dinheiro para trabalhar para você.

Agora que você já sabe o que significa cada um, é importante identificar algumas diferenças entre os dois mecanismos. “Primeiro, a poupança não está exposta a riscos de mercado como os investimentos. Em segundo lugar, como a poupança é ‘tranquila’, a inflação corrói seu valor”, dizem os especialistas da Tyba. No entanto, você não pode esquecer que a poupança é um passo fundamental para investir.

PUBLICIDADE

Agora, você deve estar se perguntando quando deve poupar e quando investir. Os analistas da Tyba sugerem que você mantenha uma reserva que possa cobrir suas contas em caso de qualquer imprevisto ou emergência. O valor desse fundo deve ser de três a seis vezes sua renda mensal.

Além disso, se seus objetivos são de curto prazo, como comprar um produto específico, é possível recorrer à poupança. Por exemplo, se quiser comprar uma televisão daqui a seis meses, será necessário dividir seu valor por seis e economizar mensalmente para cumprir seu plano.

Agora, se você já tem um bom capital guardado e quer aumentar seu valor para cumprir uma meta de médio ou longo prazo, o ideal seria investir. “O investimento é um método consistente para aumentar o patrimônio no longo prazo, sempre levando em consideração o risco de investir (...) É importante analisar a situação financeira para tomar a decisão de investir, considerando o perfil de risco como investidor e a volatilidade do mercado”, disse Valdemaro Mendoza, CEO da Tyba.

Para não falhar na tentativa de economizar, é fundamental gerar hábitos de poupança, caso não os tenha: estruture um orçamento em que a parcela a ser economizada seja levada em conta quase como uma despesa fixa; além disso, é recomendável economizar entre 10% e 20% de sua renda mensal, mas isso pode variar de acordo com sua situação financeira.

Para trilhar o caminho do investimento, não é necessário ter grandes conhecimentos de finanças ou do mundo dos investimentos, mas é preciso ter paciência e vontade de adquirir novos conhecimentos”, concluem os especialistas.

--Este texto foi traduzido por Bianca Carlos, localization specialist da Bloomberg Línea.

Leia também

Bloomberg LíneaÚltimas BrasilFinanças
Valerie Cifuentes

Valerie Cifuentes (PT)

Jornalista especializado na cobertura de questões económicas, financeiras e empresariais. Fui co-editor de economia e finanças da Forbes Colômbia e jornalista do jornal El Tiempo Portafolio, do jornal La República e do gabinete de comunicações da Associação Colombiana de Instituições Bancárias e Financeiras (Asobancaria).

PUBLICIDADE