Mercados

Petróleo oscila com plano de liberação de reservas da IEA em foco

Petróleo foi atingido por uma intensa volatilidade nas últimas seis semanas, quando a invasão russa da Ucrânia agitou os mercados de commodities

O West Texas Intermediate para entrega em maio subia 0,4%, para US$ 96,57 o barril na Bolsa Mercantil de Nova York às 7h04, horário de Brasília
Por Paul Burhardt
07 de Abril, 2022 | 08:43 am
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — Os preços do petróleo oscilavam entre ganhos e perdas após uma forte queda desencadeada por perspectivas de novas liberações de reservas estratégicas, perspectivas de política monetária mais rígida dos EUA e demanda mais fraca na China atingida pelo vírus.

O West Texas Intermediate (WTI) negociava em cerca de US$ 96 o barril depois de cair mais de US$ 5 na quarta-feira (6), após o anúncio da Agência Internacional de Energia de que os aliados dos EUA implantarão 60 milhões de barris de estoques. A decisão vem depois da liberação de 180 milhões de barris já anunciado pelo presidente dos EUA, Joe Biden.

O petróleo foi atingido por uma intensa volatilidade nas últimas seis semanas, quando a invasão russa da Ucrânia agitou os mercados de commodities. Em resposta à guerra, Washington e seus aliados vêm tentando punir a Rússia economicamente, ao mesmo tempo em que se movem para conter o aumento dos preços da energia que está atiçando a inflação já elevada. A escala das liberações combinadas de petróleo é sem precedentes.

“Os preços do petróleo sofreram flutuações maiores nos últimos dias, impulsionados pela incerteza sobre como as exportações russas de petróleo cairão nas próximas semanas, compensadas pela oferta adicional proveniente de reservas estratégicas de petróleo”, disse Giovanni Staunovo, analista de commodities do UBS Group.

PUBLICIDADE

Os comerciantes de petróleo também estavam avaliando as consequências de um comunicado mais agressivo do Federal Reserve, à medida que os formuladores de políticas controlam o apoio que implantaram para amortecer o impacto da pandemia. Além dos aumentos das taxas, o Fed sinalizou que reduzirá suas participações em títulos a um ritmo máximo de US$ 95 bilhões por mês.

Preços do petróleo

  • O West Texas Intermediate para entrega em maio subia 0,4%, para US$ 96,57 o barril na Bolsa Mercantil de Nova York às 7h04, horário de Brasília
  • O Brent para liquidação de junho avançava 0,5%, para US$ 101,62 o barril na bolsa ICE Futures Europe, depois de cair 5,2% na quarta-feira.

A China, o maior importador de petróleo do mundo, vem tentando acabar com um surto de vírus que provocou lockdowns, inclusive no centro comercial de Xangai. Enquanto as autoridades enfrentam o desafio, navios-tanque transportando 22 milhões de barris de petróleo russo, iraniano e venezuelano estão se acumulando na costa, disse Kpler.

PUBLICIDADE