Estilo de vida

Um ‘ovo’ de US$ 30 milhões: Christie’s leiloa diamante exclusivo de 228 quilates

Em ‘turnê mundial’, joia inédita passará por pelo menos quatro países nos próximos meses; conheça seu potencial de investimento.

Grande demais para um anel, ideal para um colar
Por James Tarmy
26 de Março, 2022 | 06:03 pm
Tempo de leitura: 3 minutos

Bloomberg — O maior diamante branco já leiloado na história será vendido na Christie’s, uma das empresas de arte mais importantes do mundo, em Genebra, em 11 de maio. O diamante de 228 quilates em forma de pera tem uma estimativa de pré-venda de US$ 20 milhões a US$ 30 milhões.

A pedra, que tem aproximadamente o tamanho de um ovo de galinha, foi extraída há cerca de 20 anos na África do Sul, mas só agora será vendida ao público.

“Neste momento, há um grande apetite no mercado por diamantes”, diz Rahul Kadakia, chefe internacional de joalheria da Christie’s. A empresa também negociou a venda privada inicial da peça para um colecionador, que a guardou durante a maior parte das últimas duas décadas. “Com o mercado do jeito que está – em 2021 houve um grande ressurgimento tanto no mercado de arte quanto no mercado de joias – o segundo proprietário nos abordou e disse: ‘Como você se sentiria em comercializar isso para nós em leilão público?’”

Sem surpresa, Kadakia se sentiu bem com a tarefa de vender uma joia inédita. “É uma oportunidade única na vida”, diz ele. “Se, após a venda, você vier até mim e disser: ‘Você pode me encontrar outro diamante de 230 quilates?’ – bem, não posso.”

PUBLICIDADE

Potencial de Investimento

Se a pedra fosse vendida por sua alta estimativa, ela se tornaria imediatamente um dos diamantes brancos mais caros do mundo. No entanto, Kadakia diz que o preço por quilate comparativamente modesto de sua estimativa - pouco menos de US$ 88.000 - torna a peça um investimento atraente.

“É bastante atraente para colecionadores de todas as áreas do mercado”, diz ele, “desde investidores puros que querem apenas comprar um grande ativo portátil e guardá-lo para alguém que deseja comprá-lo para apreciá-lo como um conjunto de joias e, ao mesmo tempo, colocar seu dinheiro em algo portátil.”

A Christie’s está ansiosa para comparar a estimativa da pedra com os diamantes brancos vendidos anteriormente, incluindo uma pedra de 102 quilates que foi vendida em 2013 por US$ 26,7 milhões e um colar de esmeraldas e diamantes da grife de luxo Grisogono, com uma joia de destaque de 163 quilates, que foi vendida por US$ 33,7 milhões em 2017. O preço do antigo diamante por quilate era de cerca de US$ 262.000; o último foi de cerca de US$ 206.000.

PUBLICIDADE

Ambos os diamantes foram designados como cor “D”, o que significa que eram verdadeiramente incolores; este diamante de 228 quilates, em contraste, é classificado como G, o que significa que é “quase incolor”, três degraus abaixo na escala de cores do Instituto Gemológico dos Estados Unidos.

Kadakia reconhece que isso impacta o preço da peça, mas diz que nada será alterado. “Com diamantes, são quatro características principais: corte, cor, clareza e peso em quilates”, diz ele. “E isso determina o preço de pedras de três, cinco, 10, 50 quilates, talvez até a pedra de 163 quilates que vendemos em 2017.”

Mas aqui, ele argumenta, “você tem uma pedra que pesa quase 230 quilates. Existe realmente um preço por quilate, ou você está olhando de forma diferente, como uma obra de arte?” Ele estimula as pessoas a segurarem a pedra na palma da mão. “Parece US$ 100 milhões”, diz.

Nada é impossível

Os preços dos diamantes subiram vertiginosamente nos últimos meses. A De Beers, corporação internacional especializada em diamantes, elevou os preços em quase 10% de suas vendas em janeiro, com diamantes antes tidos como mais baratos saltando até 20%.

A Kadakia antecipa que há um forte interesse do Oriente Médio e, portanto, decidiu iniciar a turnê mundial do diamante em Dubai. Depois disso, a pedra passará por Taipei e Nova York, e depois vai para a Suíça para leilão.

PUBLICIDADE

Se os compradores decidirem que isso é algo que gostariam de usar em público, “um colar seria o veículo mais lógico” para a pedra, diz Kadakia. “Mas não seria apropriado para um anel, isso posso te garantir.”

Embora, acrescente: " já vi clientes usarem anéis de até 100 quilates, então nada é impossível em nosso mundo”.

– Esta notícia foi traduzida por Melina Flynn, content producer da Bloomberg Línea.

Leia também

PUBLICIDADE

Anitta é primeira brasileira a ter a música mais tocada do mundo no Spotify

Apple cria assinatura para troca de iPhone e outros aparelhos

PUBLICIDADE