Negócios

Apple cria assinatura para troca de iPhone e outros aparelhos

Produto é a maior fonte de receita da empresa: foram quase US$ 192 bilhões no ano passado

Mensalidade não seria o equivalente ao valor do aparelho dividido pela duração da assinatura; cada modelo terá sua própria taxa
Por Mark Gurman
25 de Março, 2022 | 01:01 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — A Apple (AAPL) está desenvolvendo um serviço de assinatura para o iPhone e outros dispositivos que tornará a compra dos aparelhos semelhante ao pagamento de uma assinatura mensal. A informação veio de pessoas com conhecimento do assunto.

O serviço seria a maior iniciativa da Apple para automatizar vendas recorrentes, sendo a primeira assinatura de aparelhos, não apenas de serviços digitais. O projeto ainda está em fase de desenvolvimento, segundo as fontes, que pediram para não serem identificadas porque ainda não houve um anúncio oficial.

A assinatura de hardware marcaria uma mudança de estratégia para uma companhia que geralmente recebe o valor cheio pelos dispositivos — às vezes com parcelamentos ou subsídios oferecidos pelas operadoras de telefonia móvel. O novo esquema pode ajudar a Apple a gerar mais receita e facilitar a aceitação por consumidores que relutam em gastar milhares de dólares para adquirir um dispositivo novo.

O iPhone já é a maior fonte de faturamento da Apple, gerando quase US$ 192 bilhões no ano passado — mais da metade da receita da companhia sediada em Cupertino, na Califórnia.

PUBLICIDADE

Uma porta-voz da Apple preferiu não comentar os planos da empresa.

Segundo as fontes, a ideia é tornar o processo de compra de um iPhone ou iPad parecido com o pagamento por armazenamento no iCloud ou pela assinatura mensal do Apple Music. Os clientes fariam a assinatura do hardware com o mesmo Apple ID e conta na App Store que usam para comprar aplicativos e assinar serviços atualmente.

O programa seria diferente de um parcelamento porque a mensalidade não seria equivalente ao preço do aparelho dividido em 12 ou 24 meses. Em vez disso, o consumidor pagaria uma taxa mensal correspondente ao dispositivo escolhido.

A empresa discutiu oferecer aos participantes do programa a troca do aparelho quando um novo modelo for lançado. A Apple geralmente lança novas versões de seus principais dispositivos — iPhone, iPad e Apple Watch — uma vez por ano.

PUBLICIDADE

A companhia trabalha no programa de assinatura há meses, mas o projeto foi recentemente colocado de lado para priorizar um serviço que oferece adiamento do pagamento após a compra. O serviço de assinatura deve ser lançado no final de 2022, mas pode ser adiado para 2023 ou não ser adotado, de acordo com os entrevistados.

A empresa teve discussões internas sobre anexar a assinatura de hardware aos pacotes Apple One ou ao suporte técnico AppleCare. Os pacotes foram introduzidos em 2020 para que os usuários se inscrevam em vários serviços — incluindo TV+, Arcade, Music, Fitness+ e armazenamento no iCloud — pagando uma mensalidade menor.

A fabricante do iPhone não seria a primeira empresa a oferecer assinatura de hardware. O Google tentou uma abordagem semelhante com os laptops Chromebook para clientes corporativos.

O valor de mercado atual da Apple chega a US$ 2,84 trilhões.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDADE