Mercados

Petróleo recua com Europa adiando a proibição de petróleo da Rússia

UE e os EUA anunciaram um acordo para reduzir a dependência do combustível russo, embora várias nações continuem desconfortáveis

Brent para liquidação de maio caía 0,7%, para US$ 118,17 o barril na bolsa ICE Futures Europe às 7h13, horário de Brasília
Por Sharon Cho e Paul Burkhardt
25 de Março, 2022 | 08:38 am
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Os preços do petróleo caíam com a União Europeia adiando a proibição das importações de petróleo da Rússia, enquanto o Cazaquistão disse que a interrupção em um importante terminal de exportação deve diminuir.

Os futuros do Brent caíam 0,7% depois de flutuar no início desta sexta-feira (25). A UE e os EUA anunciaram um acordo para reduzir a dependência do combustível russo, embora várias nações continuem desconfortáveis com qualquer potencial embargo de petróleo a um grande fornecedor. Enquanto isso, o Cazaquistão espera que uma parte de um terminal na costa do Mar Negro da Rússia retome o trabalho na sexta, permitindo que os petroleiros sejam carregados novamente.

“O mercado se confortou com o fato de que parece improvável que vejamos uma proibição da UE” ao petróleo, disse Warren Patterson, chefe de estratégia de commodities do ING. No entanto, “ainda haverá muito barulho sobre novas sanções ou proibições de petróleo nos próximos dias e semanas” e o mercado permanecerá volátil.

O petróleo ainda está em alta esta semana e subiu nos últimos quatro meses, atingindo o nível mais alto desde 2008 no início de março, quando a guerra da Rússia na Ucrânia agitou os mercados de commodities já apertados. Em resposta, os EUA e o Reino Unido passaram a barrar o petróleo russo, e muitas empresas ocidentais de energia também estão optando por evitar o petróleo do país. Compradores na Ásia, incluindo China e Índia, parecem estar absorvendo alguns desses barris.

PUBLICIDADE

A Alemanha, potência industrial da UE, disse que planeja se livrar rapidamente dos combustíveis fósseis russos, embora tenha alertado que um embargo imediato não é possível devido aos danos que causaria à maior economia da Europa. A Áustria também disse que não concordará com um embargo de petróleo e gás russos.

Preços do petróleo

  • Brent para liquidação de maio caía 0,7%, para US$ 118,17 o barril na bolsa ICE Futures Europe às 7h13, horário de Brasília
  • West Texas Intermediate para entrega em maio recuava 1%, para US$ 111,25 na Bolsa Mercantil de Nova York

O terminal de exportação CPC interrompeu os carregamentos de carga no início desta semana, depois que as amarrações sofreram danos significativos com o mau tempo. O ministro da Energia do Cazaquistão, Bolat Akchulakov, disse na sexta-feira que um deles reiniciará as operações em breve, enquanto outros dois devem ser retomados em três semanas.

Os mercados de petróleo permanecem atrasados, um padrão de alta marcado por preços mais altos para barris de curto prazo do que aqueles mais distantes. O spread imediato do Brent - a diferença entre seus dois contratos mais próximos - foi de US$ 3,57 por barril na sexta-feira, acima dos 41 centavos no início do ano.

Leia também

PUBLICIDADE

Êxodo de Hong Kong: Quase 50% das empresas planejam realocar funcionários

SoftBank busca pelo menos US$ 60 bilhões em IPO da Arm

PUBLICIDADE