PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

Ásia segue alta de Wall Street, mas futuros de NY oscilam

Depois da alta desta terça, índice S&P 500 já recuperou metade das perdas iniciadas em janeiro

Bolsas asiáticas seguem com ganhos nesta quarta
Por Andreea Papuc
22 de Março, 2022 | 10:03 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Os mercados asiáticos de ações da Ásia subiram nesta quarta-feira depois que a determinação do Federal Reserve de conter a inflação ajudou a impulsionar os ganhos em Wall Street e aprofundou o sell-off dos títulos do Tesouro dos EUA.

As ações subiram no Japão, Austrália e Coreia do Sul. Os contratos dos EUA flutuaram depois que o S&P 500 (SPX) avançou pela quinta sessão em seis. O índice agora recuperou metade das perdas iniciadas em janeiro. Os títulos do Tesouro tiveram perdas desencadeadas na segunda-feira por sinais do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, de que um aumento de meio ponto na taxa de juros é possível na próxima reunião do banco central.

PUBLICIDADE

Os títulos de curto prazo do governo dos EUA caíram para seu pior desempenho trimestral em quase quatro décadas, e a dívida da Austrália e da Nova Zelândia enfraqueceu. O dólar subiu e o petróleo caiu.

Os mercados de títulos estão sofrendo com a pressão dos bancos centrais por ações mais duras para conter a inflação, que subiu para máximas de 40 anos, enquanto a guerra na Ucrânia estimula os preços das commodities. Mesmo os formuladores de políticas mais considerados mais dovish do Fed estão ecoando a declaração de Powell de que as taxas podem ter que subir mais rápido, insistindo que a economia é forte o suficiente para suportar custos de empréstimos mais altos. Os mercados de ações parecem estar respondendo a essa mensagem, e alguns investidores estão se apoiando em ações como um hedge de inflação.

“Estamos otimistas com as ações este ano”, disse Seema Shah, estrategista-chefe da Principal Global Investors, à Bloomberg Television. Embora o mercado possa ser mais desafiado em 2023 e os riscos de recessão estejam aumentando, “ainda achamos que a economia dos EUA está muito boa do ponto de vista fundamentalista”, disse ela.

PUBLICIDADE

“As altas mais rápidas nos juros vão claramente ajudar a inflação a cair”, o que pode reduzir a necessidade de uma campanha mais longa de aperto, acrescentou.

O Fed elevou as taxas em um quarto de ponto na semana passada e projetou mais seis movimentos desse tipo até o final do ano. Os traders de derivativos estão se preparando para um caminho um pouco mais acentuado este ano, incluindo pelo menos um aumento de meio ponto. A presidente do Fed de São Francisco, Mary Daly, disse na terça-feira que era hora de remover a acomodação da política monetária, enquanto o presidente do Fed de St. Louis, James Bullard, e Loretta Mester, de Cleveland, favoreceram um ritmo mais rápido nos aumentos.

No entanto, as preocupações com o crescimento estão aumentando com poucos sinais de uma resolução para a guerra na Ucrânia. Espera-se que o presidente Joe Biden e aliados reunidos na quinta-feira em Bruxelas anunciem novas sanções contra a Rússia por sua invasão da Ucrânia e novas medidas destinadas a impedir que o Kremlin evite as sanções econômicas existentes.

Os mercados de commodities serão observados de perto depois que os EUA e o Reino Unido chegaram a um acordo para aliviar as tarifas sobre aço e alumínio britânicos, o que pode aliviar algumas pressões inflacionárias.

Aqui estão alguns eventos importantes desta semana:

  • Relatório de estoques de petróleo bruto da EIA, quarta-feira;
  • O presidente do Banco da Inglaterra, Andrew Bailey, e o presidente do Fed, Powell, falam no painel do BIS, quarta-feira;
  • “Declaração de Primavera” do chanceler do Reino Unido Rishi Sunak sobre o orçamento, quarta-feira;
  • O presidente dos EUA, Joe Biden, participa da cúpula de emergência da Otan em Bruxelas, na quinta-feira;
  • PMIs Markit da Zona Euro, quinta-feira;
  • Pedidos iniciais de seguro-desemprego nos EUA, bens duráveis nos EUA, quinta-feira;

Alguns dos principais movimentos nos mercados:

PUBLICIDADE

Ações

  • Os futuros de S&P 500 (ESH2) operava estável às 10h em Tóquio (22h em Brasília). Na terça, o S&P 500 (SPX) subiu 1,1%;
  • Os futuros do Nasdaq 100 (NQH2) recuava 0,1%. O Nasdaq 100 (NDX) subiu 1,9%;
  • O índice Topix (TOPIX), de Tóquio, subia 1,3%;
  • O S&P/ASX 200 da Austrália (AS51) subia 0,5%;
  • O índice Kospi (KOSPI), de Seul, subia 0,8%;
  • Os futuros do índice Hang Seng (HSI), do Hong Kong, subiam 0,7%;

Moedas

  • O iene japonês (JPY) operava a 121,24 por dólar;
  • O yuan offshore (CNH) operava a 6,3767 por dólar;
  • O Bloomberg Dollar Spot Index (DXY) subia 0,1%;
  • O euro (EUR) operava a US$ 1,1028;

Renda fixa

  • O rendimento dos títulos do Tesouro de 10 anos operava a 2,38%;
  • O rendimento de 10 anos da Austrália subia cinco pontos base para 2,77%;

Commodities

  • O petróleo bruto West Texas Intermediate (WTI) era negociado a U$ 109,22 o barril;
  • O ouro era negociado a US$ 1.920,53 a onça.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDADE