PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Tech

Apple quer excluir operadoras da venda de iPhones nos EUA

Compradores do iPhone SE que escolherem AT&T ou T-Mobile como provedora de telefonia móvel não precisarão mais fornecer informações

Apple apresentou as versões 5G de seu tablet iPhone SE e iPad Air de baixo custo durante seu evento virtual. Este é o CEO da Apple, Tim Cook
Por Mark Gurman
18 de Março, 2022 | 09:59 am
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — O último lançamento da linha iPhone mudará o processo de compra do aparelho nos EUA, excluindo as operadoras de telefonia móvel e dando mais controle à Apple.

PUBLICIDADE

Na compra de um iPhone em uma loja física ou no e-commerce da Apple nos EUA, o consumidor geralmente fornece seu número de telefone celular e os quatro últimos dígitos do documento de seguridade social. Isso permite que a operadora verifique a qualidade do crédito do comprador e aprove a transação, mas torna o processo mais demorado e pode impedir a venda.

O processo começa a mudar com o iPhone SE — modelo mais acessível que passará a ser vendido nesta sexta-feira por US$ 429 nos EUA. Segundo a Apple informou aos funcionários da operação de varejo, os compradores do iPhone SE que escolherem AT&T ou T-Mobile como provedora de telefonia móvel não precisarão fornecer suas informações no momento da compra. Em vez disso, poderão inserir esses dados e fazer a conexão com a operadora quando ligarem o dispositivo pela primeira vez.

PUBLICIDADE

O novo recurso permite a “autenticação no dispositivo”, segundo a Apple informou aos colaboradores. Em caso de encomenda do iPhone SE no website da Apple, não será solicitado que o consumidor forneça os dados da operadora, se for AT&T ou T-Mobile. Os usuários não precisarão mais escolher um plano de serviço de telefonia móvel no momento da compra. Nas lojas, o novo processo será implementado a partir de 29 de março.

A novidade também pode melhorar o atendimento que os funcionários da Apple prestam aos clientes. Os servidores de ativação por vezes estão sobrecarregados e os clientes saem das lojas da Apple sem que o aparelho esteja funcionando. A nova abordagem melhoraria essa experiência ruim.

A Apple, sediada em Cupertino, na Califórnia, não respondeu imediatamente a um pedido de comentário da reportagem.

Não se trata de uma mudança ampla para a Apple. Há muito tempo, a gigante oferece versões desbloqueadas do iPhone — aparelhos que podem ser conectados com qualquer operadora após a compra. Mas com esse passo mais recente, a Apple passa a ter maior controle sobre a experiência do cliente.

O novo processo também chegará aos usuários da operadora Verizon Communications. A Apple permitirá que o iPhone SE seja pago em parcelas mensais no Apple Card, sem conexão com uma operadora.

PUBLICIDADE

O novo processo de compra se refere apenas ao iPhone SE, mas funcionários acreditam que a Apple está fazendo um teste, iniciando pelo iPhone SE que tem menor volume de vendas e potencialmente usando a mesma estratégia no lançamento da linha iPhone 14 ainda este ano. Não está claro se a Apple eventualmente implementará a mudança para outras linhas existentes do iPhone.

Embora sutil, a novidade faz parte de um esforço das fabricantes de smartphones para reduzir a influência das operadoras no processo de compra. A Apple e outras fabricantes estão promovendo a tecnologia eSIM de ativação de planos de serviço, que não requer um chip físico. O iPhone 13 tem entrada para cartão SIM, mas os aparelhos comprados da Apple nos EUA não vêm com o chip e usam uma versão virtual.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

Rock in Rio abre pré-venda; veja outros festivais de música no Brasil em 2022

Como os influenciadores ganham dinheiro no TikTok?