Mercados

Bancos tentam acordo com bilionário chinês para reabrir mercado de níquel

Bilionário afetou mercado ao não conseguir pagar margens a bancos e corretoras e deve receber créditos para quitá-las

Negociações ainda estão em andamento
Por Jack Farchy e Alfred Cang e Isis Almeida
14 de Março, 2022 | 01:12 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — Bancos liderados pelo JPMorgan Chase (JPM) estão em negociações avançadas para conceder empréstimos que sustente a posição vendida de Xiang Guangda em níquel. É uma tentativa de devolver a estabilidade a esse mercado após um aperto sem precedentes.

O acordo permitiria a Xiang manter sua posição vendida. O mercado de níquel foi abalado pela dificuldade do bilionário em pagar enormes chamadas de margem a bancos e corretoras na semana passada. Caso se concretize, o empréstimo pode dar à London Metals Exchange a confiança necessária para reabrir o mercado de níquel, que está paralisado desde a manhã da última terça-feira (8).

No acordo que está em discussão, os cerca de 10 bancos que são contrapartes de Xiang em sua aposta no níquel concederiam crédito suficiente para cobrir suas perdas na marcação a mercado, segundo pessoas a par do assunto. Os bancos também forneceriam empréstimo para que Xiang consiga pagar futuras chamadas de margem caso o preço do níquel suba ainda mais.

Em troca, Xiang está oferecendo aos bancos garantia em uma variedade de ativos de sua Tsingshan Group Holding – a maior produtora mundial de níquel e aço inoxidável. As fontes pediram para não serem identificadas porque as discussões são privadas.

PUBLICIDADE

O JPMorgan e a London Metal Exchange não quiseram comentar. Um representante da Tsingshan não comentou quando contatado pela Bloomberg. O JPMorgan é a maior contraparte das posições vendidas em níquel de Xiang, informou a Bloomberg na semana passada.

As negociações entre Xiang e os bancos estão em andamento e não é certo que o acordo se concretizará na forma atual.

Ainda assim, várias pessoas com conhecimento das discussões disseram que os bancos estão analisando as minutas do contrato, que pode ser finalizado nas próximas horas ou em alguns dias.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDADE