PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Tech

Panasonic prepara bateria que Tesla vislumbra em carro elétrico

Empresa iniciará a produção em massa no ano fiscal que começa em abril de 2023, com planos de estabelecer duas linhas de produção adicionais

Bateria 4680 da Panasonic
Por River Davis e Yuki Furukawa
11 de Março, 2022 | 11:07 am
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — A Panasonic se prepara para se tornar um grande fornecedor de uma bateria nova e mais potente defendida pela Tesla e que a fabricante de eletrônicos japonesa diz atender às demandas de seu badalado cliente.

Ao longo do último ano e meio, a Panasonic trabalha para desenvolver uma bateria “4680” maior que pretende vender para a montadora americana de carros elétricos. Por causa do maior volume da bateria, menos células e peças são necessárias para alimentar um veículo elétrico, levando o CEO da Tesla, Elon Musk, a divulgar a tecnologia como a chave para desbloquear carros elétricos a US$ 25.000.

O desenvolvimento das novas baterias “exigiu uma quantidade imensa de perseverança” nos últimos meses, disse Kazuo Tadanobu, CEO da divisão de energia da Panasonic, em uma entrevista recente na sede da empresa em Osaka.

Embora uma tendência comum seja procurar maneiras de acumular mais energia em tamanhos de células já existentes, mudar toda a forma exigia “uma ousadia considerável”, disse Tadanobu, acrescentando que “não sabíamos como elas seriam recebidas”. A Tesla, cujo Model 3 custa cerca de US$ 41.000 com incentivos fiscais, reconheceu que as novas baterias da Panasonic são viáveis e atendem ao nível de desempenho que ela busca, segundo o executivo.

PUBLICIDADE

A Panasonic iniciará a produção em massa das baterias no ano fiscal que começa em abril de 2023, com planos de estabelecer duas linhas de produção adicionais, bem como instalações em sua fábrica de Wakayama, no oeste do Japão. Antes disso, a empresa está montando uma linha de produção de protótipos para as baterias, também no Japão.

É um passo ousado para a gigante eletrônica japonesa. Mesmo enfrentando uma demanda crescente por baterias da Tesla, a Panasonic tem sido mais lenta em alcançar grande escala em comparação com as rivais LG Energy Solution e Contemporary Amperex Technology. Em vez disso, tem divulgado a vantagem da segurança de suas células e enfatizando que prioriza os lucros sobre a participação de mercado.

Mais recentemente, surgiram sinais de que a Panasonic pode ter grandes ambições para sua nova bateria. Na semana passada, a emissora japonesa NHK divulgou que a empresa está de olho na construção de uma nova fábrica nos EUA, provavelmente para fornecer as novas células à Tesla.

Tadanobu disse que neste momento nada foi decidido. A localização de novas fábricas em potencial será avaliada com base em parcerias e na economia de certas áreas, disse ele, acrescentando que, por enquanto, a Panasonic está focada em construir uma “base sólida” para a produção futura da 4680 em sua fábrica de Wakayama, no Japão.

PUBLICIDADE
Kazuo TadanobuFonte: Panasonic Corp.dfd

Analistas, e até o próprio Musk, alertam para as dificuldades associadas à produção em massa de células 4680. O tamanho e o design maiores da bateria a tornam mais suscetível à contaminação por partículas, uma causa frequente de incêndios em baterias de carros elétricos que ocorrem quando peças de metal minúsculas chegam ao centro de uma célula.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

Inflação no Brasil supera previsões com impacto da guerra na Ucrânia