Internacional

Toshiba teme piora na crise dos chips com guerra da Ucrânia

Ucrânia é um importante fornecedor de gases nobres purificados, como neônio e criptônio, ambos essenciais para a fabricação de semicondutores

“Esperamos que a oferta escassa se prolongue até março do próximo ano”
Por Takashi Mochizuki e Yuki Furukawa
07 de Março, 2022 | 05:42 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — A Toshiba afirmou que a crise de fornecimento de componentes eletrônicos não deve diminuir por, pelo menos, um ano, já que a escassez crônica não tem perspectiva próxima de melhora e a invasão russa ameaça uma importante fornecedora de insumos para a produção dos chips, a Ucrânia, o que intensifica as preocupações.

“A sensação de escassez segue a mesma”, diz Hiroyuki Sato, chefe da divisão de dispositivos da Toshiba, em entrevista. “Esperamos que a oferta escassa se prolongue até março do próximo ano”, no mínimo.

A Ucrânia é um importante fornecedor de gases nobres purificados, como neônio e criptônio, ambos essenciais para a fabricação de semicondutores. O país responde por quase 70% do fornecimento mundial de gás neon, de acordo com dados da TrendForce. Enquanto alguns fabricantes de chips estão minimizando o impacto da disrupção da guerra, “o efeito claramente não é bom”, diz Sato.

A divisão de dispositivos da Toshiba produz componentes de computador simples, mas necessários, como chips reguladores de energia. A empresa fez um alerta sobre crise de fornecimento em setembro, e Sato afirmou que a situação e as perspectivas não melhoraram desde então.

PUBLICIDADE

Os preços também devem continuar subindo, previu o executivo.

Veja mais: Estas são as empresas que cortaram os laços com a Rússia

“Faz um ano que os preços de diversos insumos, como metais, começaram a subir, e ainda é difícil dizer quando essa tendência se reverterá”, disse. “Precisamos e precisaremos pedir que nossos clientes dividam o peso conosco, porque nenhuma empresa pode mais absorver todo o impacto.”

A Sharp declarou, no mês passado, que monitora de perto os custos antes de decidir os preços de seus novos produtos eletrônicos. A I-O Data Device, após elevar os preços de seus monitores LCD no ano passado, disse que, em breve, fará o mesmo com seus produtos de armazenamento conectados à rede.

PUBLICIDADE

A Toshiba planeja antecipar para 2022 investimentos para expandir sua produção de semicondutores, ante a previsão anterior que era o primeiro semestre de 2023, disse a empresa no mês passado. Mas isso, por si só, não será suficiente para superar a escassez de chips. A empresa pode aumentar, ainda mais, seu ritmo de despesas de capital se necessário, disse Sato.

A empresa com sede em Tóquio passou por um ano turbulento com a proposta de se dividir em duas empresas para gerar mais valor, o que foi criticado por investidores. Sato disse que a medida tornaria sua unidade de negócios mais ágil e menos dependente de aprovações de níveis superiores da cadeia.

“Podemos acelerar o processo de tomada de decisão em um mês ou mais”, disse ele.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

Milhares nos arredores de Kiev estão acuados em porões

Petróleo Brent vai de US$ 119 a US$ 139 com temor sobre choque de oferta

PUBLICIDADE