PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Cripto

Blockchain reduz custo de montadora chinesa de carro elétrico

Adoção da tecnologia pela SAIC-GM-Wuling deve representar redução de aproximadamente US$ 2,5 milhões apenas na gestão de fornecedores de peças

Ainda abstrata, blockchain tem sido usada para aplicações que vão além das criptomoedas
Por Bloomberg News
28 de Fevereiro, 2022 | 10:21 am
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — À medida que as montadoras voltam suas atenções para a produção de carros de emissão zero, a aplicação de tecnologias futuristas como blockchains está ajudando os esforços para reduzir custos em meio à concorrência acirrada. Gigantes globais como Mercedes, BMW e Toyota, delinearam suas abordagens para adotar a tecnologia de contabilidade digital descentralizada. Na China, as montadoras do país também estão seguindo ativamente o exemplo.

Pouco antes do Ano Novo Lunar, o governo central da China disse que selecionou 15 zonas piloto e identificou várias áreas para a “aplicação inovadora” da tecnologia blockchain. Xangai, Pequim e Guangzhou foram indicadas para a inclusão. Ao todo, 164 entidades, entre bancos, hospitais, concessionárias de energia e órgãos do governo local foram escolhidas para participar. Apenas uma montadora, SAIC-GM-Wuling, responsável pelo Hongguang Mini, veículo elétrico mais vendido da China, foi escolhida para o teste.

PUBLICIDADE

Veja mais: O que o mundo cripto viu no futebol da América Latina?

A SAIC-GM-Wuling, com sede em Liuzhou, é uma empresa que fornece mais de 900 componentes diariamente de centenas de fornecedores em transações que chegam a milhões. É um grande desafio de gerenciamento de estoque e há potencial para erro humano devido a assinaturas indistinguíveis em documentos em papel durante as entregas de peças.

Para melhorar a eficiência de sua cadeia de suprimentos, a SAIC-GM-Wuling começou a usar um livro-razão distribuído - um registro digital de transações e contratos que são mantidos de forma descentralizada em diferentes locais. A empresa espera que este sistema reduza o uso de papel em até 10 milhões de folhas por ano e reduza os custos em cerca de US$ 2,5 milhões.

PUBLICIDADE

Isso pode parecer uma quantia modesta, mas para uma empresa como a SAIC-GM-Wuling, que produziu o extremamente popular veículo elétrico por menos de US$ 5.000, mantendo um olho atento nos custos, é significativo. No mercado automotivo de preço competitivo da China, cada centavo importa. Esse aumento da eficiência da cadeia de suprimentos nunca foi tão vital para as montadoras, principalmente no contexto do aumento dos custos das matérias-primas e da necessidade de investir pesadamente no futuro do transporte – tanto na condução autônoma quanto nos sistemas de veículos inteligentes.

Veja mais: Ucrânia pede que exchanges bloqueiem usuários de criptomoedas da Rússia

Outras montadoras domésticas estão começando a ir além. A Great Wall Motor, maior fabricante de SUVs do país, anunciou em novembro que começará a usar a tecnologia blockchain para reduzir os custos trabalhistas terceirizando alguns serviços.

Muitas pessoas ainda acham a tecnologia blockchain abstrata e difícil de entender. Criptomoedas como Bitcoin são o exemplo mais conhecido de como a tecnologia é usada, mas os livros digitais descentralizados têm muitas aplicações para empresas de automóveis e motoristas. A BMW os está usando para facilitar a vida dos consumidores na compra de carros em segunda mão, ajudando os clientes a verificar de forma independente se um veículo se envolveu em um acidente ou recebeu manutenção regular.

Veja mais: Foxbit, a aposta de R$ 110 milhões do OK Group para cripto no Brasil

Nas próximas décadas, você pode esperar que mais montadoras na China sigam o exemplo da SAIC-GM-Wuling. A redução de custos é um dos principais benefícios, mas conduzir os negócios de uma forma mais ecológica pode ser o ganho final.

PUBLICIDADE