PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Negócios

Foxbit, a aposta de R$ 110 milhões do OK Group para cripto no Brasil

Anúncio do investimento da empresa chinesa vem um mês depois de o Mercado Livre ter comprado participação na controladora do Mercado Bitcoin

A exchange de criptomoedas Foxbit recebeu R$ 110 milhões do OK Group.
22 de Fevereiro, 2022 | 11:00 am
Tempo de leitura: 2 minutos

O provedor de tecnologia e serviços de blockchain chinês OK Group está investindo R$ 110 milhões na Foxbit, uma bolsa de criptomoedas do Brasil. Com a Série A, a Foxbit pretende investir em novas tecnologias, contratação de pessoas e potenciais aquisições.

A bolsa de criptomoedas surgiu em 2014 e até então operava de maneira independente, sem grandes investidores por trás, segundo o CEO João Canhada. “A empresa evoluiu muito nesses últimos anos e junto com os meus sócios, Felipe Trovão e Ricardo Dantas, entendemos que esse investimento agora era um passo necessário para continuarmos melhorando os serviços prestados aos nossos clientes. O OK Group é uma das maiores corretoras do mundo, e o Brasil um grande mercado em expansão, foi um match perfeito. Vamos alinhar força e confiança com a tecnologia e liquidez do OK Group”, disse o executivo.

PUBLICIDADE

Veja mais: Torcedores esgotam fan token do Flamengo em menos de duas horas

A Foxbit já negociou R$ 20 bilhões até hoje e diz ter quase 1 milhão de clientes cadastrados. No ano passado, com o crescimento de ativos digitais como NFTs, DeFis, game coins e meme coins, a Foxbit expandiu seu negócio com novos produtos e serviços voltados ao mercado B2B e B2B2C como tokenização de ativos, cripto-as-a-service e meios de pagamento em criptomoeda com o Foxbit Tokens, Foxbit Pay e o Compra Fácil. A empresa também lançou 30 novas moedas em sua exchange em 2021.

Já o OK Group tem mais de 50 milhões de usuários em 180 mercados pelo mundo. Com a Foxbit, a empresa pretende se consolidar no Brasil, onde enfrenta a competição do Mercado Bitcoin, controlado pela holding 2TM. Em janeiro, o Mercado Livre, maior e-commerce da América Latina, comprou participação na 2TM para ampliar serviços de criptomoeda na região.

PUBLICIDADE

Os players do setor estão de olho nos ativos digitais dos latino-americanos. Nesta segunda-feira (21), a plataforma de criptomoedas espanhola Bit2Me, desenvolvedora de seu próprio token B2M e provedora de serviços de moeda virtual, disse que firmou uma parceria com a Axie Infinity para expandir na Espanha, Portugal e América Latina. A aposta está no metaverso, os mundos virtuais construídos com blockchain. A Axie Infinity é um jogo Play-to-Earn (P2E) que cria uma comunidade no metaverso em que os jogadores batalham com criaturas fantásticas, aliando tecnologia, finanças e entretenimento. Com a parceria, a Bit2Me vai auxiliar os gamers da Axie Infinity que são da península Ibérica e da América Latina com atendimento em português e espanhol.

Leia também:

Mundo cripto quer ser artilheiro no futebol

O que o mundo cripto viu no futebol da América Latina?

Torcedores esgotam fan token do Flamengo em menos de duas horas

Isabela  Fleischmann

Isabela Fleischmann BR

Jornalista brasileira especializada na cobertura de tecnologia, inovação e startups

PUBLICIDADE