Cripto

Bitcoin: Recuperação não zera perda de quem comprou critpo recentemente

Blockforce Capital acredita que os investidores pagaram em média US$ 47 mil por Bitcoin nos últimos cinco meses

cripto
Por Vildana Hajric
10 de Fevereiro, 2022 | 03:31 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

A queda do Bitcoin (BTC) desde o preço máximo atingido em novembro foi tamanha que o comprador médio nos últimos dois meses provavelmente estará perdendo dinheiro até que a criptomoeda volte à casa de US$ 47 mil.

A avaliação é da Blockforce Capital, que concluiu que os investidores pagaram em média US$ 47 mil por Bitcoin nos últimos cinco meses, o que significa que quem comprou durante esse período provavelmente perdeu dinheiro e pode não comprar mais até atingir o ponto de equilíbrio.

Esse indicador, conhecido como base de custo de curto prazo, é um “impedimento à criação de algum impulso consistente”, escreveu Brett Munster, da Blockforce Capital, que analisou dados fornecidos pela Glassnode.

Bitcoin caiu cerca de 35% desde o pico de quase US$ 69 mil, com o aumento da aversão a risco enquanto os principais bancos centrais começam a apertar condições financeiras e retirar liquidez injetada no sistema para enfrentar a pandemia. Ativos mais arriscados, incluindo criptomoedas, costumam se depreciar em um ambiente em que os investidores se afastam de aplicações mais extravagantes.

PUBLICIDADE

A cotação atual precisaria subir pelo menos 5% para atingir o nível de equilíbrio para quem comprou recentemente.

Munster aponta que US$ 47 mil é também um nível próximo à média móvel de 200 dias, atualmente em US$ 49 mil. Esse é “um indicador amplamente reconhecido para determinar a direção da tendência nos mercados”, escreveu ele, acrescentando que “esse limiar pode oferecer resistência porque compradores recentes podem vender para tentar recuperar seu investimento”.

Após um janeiro difícil, os últimos dias foram melhores para Bitcoin. Esta quinta-feira marca o oitavo pregão positivo, formando uma sequência de ganhos que não se via desde julho. O movimento somou mais de US$ 100 bilhões ao valor de mercado de Bitcoin desde o início de fevereiro, segundo a Coinmarketcap.com.

“Ainda é cedo para ter certeza que US$ 33 mil foi o fundo do poço, mas há razões para acreditar que agora há muito mais assimetria para cima do que para baixo”, escreveu Munster. “Isso não significa que Bitcoin não possa cair novamente, mas os dados sugerem que o potencial de alta supera o de queda.”

PUBLICIDADE

Há outros sinais de esperança. Segundo a Bespoke Investment Group, a moeda rompeu a tendência descendente observada desde o último tombo, além de fechar acima da média móvel de 50 dias na segunda-feira pela primeira vez em 81 dias, que foi o maior período até hoje abaixo desse nível.

Quando isso acontece, a moeda tende a superar o padrão normal na semana, no mês e no trimestre seguintes, em bases medianas.

“O fim das últimas sequências prolongadas abaixo da média móvel de 50 dias foi seguido por retornos mais fortes do que o normal nos meses seguintes”, escreveu Jake Gordon, analista da Bespoke, em outro relatório.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDADE