Negócios

Por que janeiro foi o mês que a Smart Fit mais lotou academias?

Projeto verão e início do ano novo levam maior rede de academias do país a ter o melhor mês de vendas desde a retomada em junho

Smart Fit diz que, após 8 meses consecutivos de crescimento, a base de clientes atingiu 98% do patamar de março de 2020 (pré-pandemia)
08 de Fevereiro, 2022 | 09:31 am
Tempo de leitura: 4 minutos

São Paulo — A Smart Fit (SMFT3), maior rede de academias de ginástica do Brasil, teve, em janeiro, o melhor mês de recuperação de sua base de clientes desde o início da retomada em junho de 2021, confirmando a tradição de que o primeiro mês do ano é marcado pela corrida dos brasileiros para tirar do papel o “projeto verão” e colocar o corpo em forma, tentando cumprir promessas de Ano Novo, após a comilança das festas de Natal e Réveillon.

A companhia registrou a adição de 179 mil clientes às academias, no mês passado, um aumento de 6,9% em relação ao dado de dezembro.

Após 8 meses consecutivos de crescimento, a base de clientes atingiu 98% do patamar de março de 2020 (pré-pandemia), informou Thiago Lima Borges, CFO e diretor de relações com investidores da rede.

Veja mais: Smart Fit amarga maior prejuízo no 1º semestre com fechamento de academias por Covid-19

PUBLICIDADE

Segundo o executivo, devido à sazonalidade, tipicamente o mês de janeiro é marcado por expansão da base de clientes.

Nem o avanço da variante ômicron foi suficiente para frear o movimento. “O surgimento da variante ômicron da covid impediu que órgãos públicos locais reduzissem restrições impostas à operação das academias. Entretanto, 100% das unidades permaneceram abertas neste mês”, disse Borges.

Nos meses de janeiro de 2017 a 2019, a base de clientes de academias abertas há mais de um ano cresceu, em média, 2,3% na comparação com a base de dezembro. Em janeiro deste ano, esta base de clientes teve aumento de 4,9%, mais que o dobro da média histórica apresentada devido à melhor performance de vendas.

Veja mais: Empresa de fitness Peloton atrai interesse da Amazon, diz WSJ

PUBLICIDADE

Segundo a Smart Fit, todos os países apresentaram crescimento da base de clientes nas unidades existentes pré-pandemia, com destaque para o México e outros países da América Latina, que apresentaram recuperação de 7,8% e 5,4% em janeiro, respectivamente, na comparação com a base de março de 2020.

Rede de studios do grupo Smart Fit lançou, no mês passado,  sua segunda unidade no Jardins, em São Paulo. O espaço conta com os studios Jab House e Tonus Gymdfd

A Smart Fit terminou janeiro com 1.086 unidades, com um total de 3,175 milhões de clientes, sendo 1.074 academias (2,752 milhões de clientes).

Foram 841 academias próprias (2,143 milhões de clientes) e 233 franquias (609 mil clientes). Os números incluem as marcas Smart Fit, Bio Ritmo e O2. São 605 unidades no Brasil, 201 no México e 268 em outros países da América Latina.

Além do Brasil e do México, a companhia está presente em outros 12 países da América Latina: Argentina, Chile, Colômbia, Peru, Costa Rica, Paraguai, Panamá, El Salvador, Equador, Guatemala, República Dominicana e Honduras. O México é o seu segundo maior mercado.

Além da rede de academias Smart Fit, o grupo também explora soluções digitais para treinos à distância e serviços de nutrição e opera estúdios de treinos específicos, como Race Bootcamp, Vidya Studio, Jab House, Tonus Gym e Nós.

No último dia 29 de janeiro, os studios do grupo inauguram sua segunda unidade no bairro do Jardins, em São Paulo, que contará com as marcas Jab House, composta por pequenos circuitos que misturam golpes de boxe com treino funcional, e o Tonus Gym, que traz musculação com treinos que fogem do estilo das academias tradicionais.

PUBLICIDADE

Concorrência

A Smart Fit foi a primeira academia a abrir capital na B3, concluindo seu IPO (oferta inicial de ações) em julho do ano passado. A concorrente BlueFit chegou a pedir registro de IPO à CVM (Comissão de Valores Mobiliários) no segundo semestre, mas suspendeu a operação devido à piora das condições do mercado e acabou formalizando, no mês passado, a desistência de estrear na Bolsa. Em novembro, a Bluefit levantou R$ 50 milhões para pagar e alongar dívida e também abrir novas unidades, por meio de uma emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações.

Segundo a Bluefit, o Brasil é o segundo maior mercado fitness do mundo, com quase 10 milhões de pessoas frequentando uma academia. Diante da crescente busca por cuidados do corpo e da saúde, a Bluefit tem expandido suas operações. Com 110 unidades, 35% das filiais da marca são franquias, modelo que está em processo de aceleração na Bluefit e com espaço para cerca de 40 inaugurações em 2022, informa a empresa.

Bluefit diz contar com 110 unidades espalhadas pelo Brasil
dfd

Somente nos 15 primeiros dias de janeiro deste ano, a Bluefit diz que já foram inauguradas quatro novas unidades: duas no Ceará, uma no Tocantins e outra em Minas Gerais. A Bluefit afirma ter foco de aberturas de unidades nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, além de cidades menores do Sul e do Sudeste.

PUBLICIDADE

“Iniciamos nossa operação em 2015 e já nos encontramos em todas as regiões do país. Mesmo diante das dificuldades causadas pela pandemia, a Bluefit seguiu com seu plano de expansão e continuamos trabalhando para estarmos cada vez mais presentes em todo o Brasil”, disse Filippe Savoia, CEO da Bluefit.

Atualmente, as academias Bluefit estão espalhadas por 16 estados e no Distrito Federal, atendendo cerca de 230 mil alunos, segundo a empresa. Para este ano, a rede aposta na modalidade B-classic, que alia movimentos do balé com exercícios funcionais. Outras modalidades também serão oferecidas: B-run, na qual as aulas são praticadas na esteira, com técnicas de corrida; B-Cross, com aulas de Cross Training de alta intensidade, por meio da utilização de diversos acessórios e equipamentos.

Leia também

Grindr reforça privacidade de atletas nos Jogos Olímpicos de Pequim

Sérgio Ripardo

Sérgio Ripardo

Jornalista brasileiro com mais de 25 anos de experiência, com passagem por sites de alcance nacional como Folha e R7, cobrindo indicadores econômicos, mercado financeiro e companhias abertas.

PUBLICIDADE