PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

Petróleo cai para perto de US$ 92 com rali estelar tomando fôlego

Comerciantes avaliam negociações dos EUA com o Irã, enquanto avaliam a capacidade da Opep+ de entregar a produção

Valvula de tubería petrolífera
Por Elizabeth Low e Alex Longley
07 de Fevereiro, 2022 | 08:25 am
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — O preços do Brent (BRENT) desaceleravam após uma série de sete ganhos semanais que levaram o petróleo ao nível mais alto desde 2014.

Os futuros em Londres caíam 0,8% depois de tocarem US$ 94 o barril. A refinaria Galveston Bay, da Marathon Petroleum, no Texas, que produz 593 mil barris por dia, foi fechada por conta do tempo frio na região. Os mercados de produtos petrolíferos subiram após as notícias, com as margens do óleo de aquecimento indo para o nível mais alto desde abril de 2020.

PUBLICIDADE

Os comerciantes também continuam observando as negociações do acordo nuclear com o Irã, com diplomatas programados para retornar a Viena nesta terça-feira (8). Na sexta, os EUA assinaram várias isenções de sanções relacionadas às atividades nucleares civis do país, embora Teerã tenha dito que ainda precisa de garantias de Washington para reviver o acordo.

Embora tenha começado a semana com o pé atrás, a estrutura do mercado de petróleo tem indicado um dos mais fortes equilíbrios de oferta e demanda em anos. O preço médio da gasolina nos EUA subiu para o nível mais alto em mais de sete anos e os pedidos de US$ 100 por barril de alguns dos maiores nomes de Wall Street ficam mais altos.

Preços do petróleo

  • O Brent para liquidação de abril caía 0,8% para US$ 92,50 por barril às 7h04, horário de Brasília
  • O West Texas Intermediate (WTI) para entrega em março recuava 1,3%, para US$ 91,16 o barril.

No fim de semana, a Arábia Saudita elevou os preços do petróleo para os clientes na Ásia, EUA e Europa. O aumento de 60 centavos para o principal grau Arab Light estava em grande parte em linha com as expectativas dos traders.

PUBLICIDADE

A Opep+ concordou na semana passada em aumentar a produção em 400 mil barris por dia em março, mas o grupo está lutando para cumprir suas promessas de fornecimento. Uma das maiores empresas petrolíferas da Líbia foi recentemente forçada a cortar a produção devido à falta de capacidade de armazenamento causada pela incapacidade de realizar manutenção em tanques.

Outras notícias do mercado de petróleo

  • Os preços do petróleo podem ser impulsionados pela China reabastecendo os estoques e investidores financeiros aumentando as posições compradas, disse o Vitol Group.
  • A Shell fez uma descoberta de petróleo na Namíbia, uma área onde outros exploradores não conseguiram encontrar recursos comerciais.

Leia também

Fintechs brasileiras querem surfar a onda do boleto parcelado

Saraiva revê plano de recuperação judicial com dívida de R$ 271,5 mi

PUBLICIDADE