PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Internacional

Nuvem preta se espalha por Houston após quedas de energia em refinarias

Nuvem parecia ser da fábrica da Valero Energy, a leste do centro da cidade, de acordo com um oficial da Guarda Costeira

Área abriga uma série de plantas químicas, fábricas de plástico e outros produtores industriais
Por Joe Carroll, Barbara Powell e Sheela Tobben
07 de Fevereiro, 2022 | 03:58 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Uma fumaça preta se espalhou pelos subúrbios industriais de Houston, no Texas, na tarde desta segunda-feira (7), poucos dias depois que uma tempestade de inverno derrubou a energia em várias das maiores refinarias de petróleo dos Estados Unidos.

A nuvem parecia ser da fábrica da Valero Energy, a leste do centro da cidade, de acordo com um oficial da Guarda Costeira. A refinaria havia sido completamente fechada na manhã de hoje.

PUBLICIDADE

Valero estava no processo de reiniciar algumas unidades no fim de semana e notificou as autoridades de gerenciamento de emergência sobre os planos de queimar o “excesso de material”. Em um aviso posterior, a empresa disse que os problemas resultaram de uma queda de energia.

Um porta-voz da Valero se recusou a comentar mais quando perguntado se a fumaça era de suas operações. A área abriga uma série de plantas químicas, fábricas de plástico e outros produtores industriais.

A queima das refinarias da área de Houston é bastante comum, mas normalmente não resulta em nuvens significativas. As grandes chamas alaranjadas e a fumaça espessa se dissiparam em grande parte às 9h, horário local (12h no horário de Brasília), antes de subir novamente duas horas depois.

PUBLICIDADE

Veja mais: Petróleo cai para perto de US$ 92 com rali estelar tomando fôlego

A fábrica da Valero em Houston não é a única refinaria a cair após a tempestade de inverno da semana passada.

A refinaria da Chevron, perto do Houston Ship Channel, também estava tentando reiniciar depois que interrupções nas caldeiras deixaram outras unidades importantes fora de serviço, de acordo com uma pessoa familiarizada com as operações. Os preços da gasolina subiram enquanto o spread entre os futuros de combustível e petróleo aumentou - sinais reveladores de aperto na oferta.

As interrupções de Valero, Marathon e Chevron podem sobrecarregar as cadeias de fornecimento de combustível já apertadas por reparos sazonais que exigiram que alguns pares reduzissem a produção em meio a um aumento na demanda de energia pós-pandemia. A refinaria da Marathon pode não voltar às operações normais por semanas, de acordo com pessoas familiarizadas com as operações.

Problema político

Os problemas de energia e refinaria revelam a fragilidade da infraestrutura energética do estado quase um ano depois que um congelamento histórico paralisou o Texas, matou mais de 200 pessoas e criou uma questão política polêmica para o governador Greg Abbott.

A indústria de refino ao longo da Costa do Golfo dos EUA estava operando com apenas 86% da capacidade em 28 de janeiro, reflexo de um cronograma pesado de trabalhos de manutenção. E isso foi antes da explosão no Ártico que interrompeu o fornecimento de energia para usuários industriais e proprietários de residências em partes do Texas e da Louisiana.

PUBLICIDADE

O prêmio comandado pela gasolina no atacado da Costa do Golfo em relação aos contratos futuros negociados em Nova York disparou para uma alta de dois meses. Os preços das bombas subiram quase 3% em todo o estado em comparação com uma semana atrás. Eles podem subir mais porque os gargalos no mercado atacadista tendem a fluir para os postos de abastecimento em poucos dias.

--Com a colaboração de Chunzi Xu, Michael Roschnotti e Joe Aboussleman

Leia também

PUBLICIDADE

Bitcoin tem maior disparada desde setembro; Shiba também sobe

Aumento de óleos de cozinha é sinal de que a inflação pode subir mais

PUBLICIDADE