Tech

Zuckerberg pede à equipe foco em vídeo curto após massacre nas ações

Empresário explicou que a queda histórica das ações foi resultado da fraca previsão de receita da Meta no trimestre atual

El CEO de Meta
Por Naomi Nix e Kurt Wagner
03 de Fevereiro, 2022 | 08:08 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Mark Zuckerberg brincou que, se começou a chorar, não foi por causa das notícias do dia.

Seus olhos vermelhos e lacrimejantes foram resultado de uma córnea arranhada, disse o fundador do Facebook nesta quinta-feira, tentando aliviar o clima enquanto o preço das ações da Meta Platforms Inc. (FB) perdia mais de um quarto de seu valor.

Em uma reunião virtual na empresa, Zuckerberg explicou que a queda histórica das ações foi resultado da fraca previsão de receita da Meta no trimestre atual, segundo uma pessoa que compareceu e não estava autorizada a falar sobre o assunto. É importante focar no crescimento do produto de vídeo curto do Facebook, disse ele.

Zuckerberg repetiu seus comentários do dia anterior aos investidores, dizendo aos funcionários que a gigante das redes sociais enfrentava um “nível de competição sem precedentes”, com a ascensão do TikTok, a plataforma rival de vídeos virais. O aplicativo Instagram da Meta tem um imitador do TikTok chamado Reels, que a empresa agora está priorizando.

PUBLICIDADE

Os funcionários da Meta ficaram o dia todo grudados no preço das ações. O Facebook perdeu um valor de mercado recorde de US$ 251 bilhões em um único dia. Alguns estavam discutindo a compra de ações durante a queda, acreditando na visão de longo prazo de Zuckerberg para o metaverso, uma versão imersiva da internet.

Outros se preocupavam com o que um declínio contínuo poderia significar para seu patrimônio, de acordo com pessoas familiarizadas com o assunto. A própria fortuna de Zuckerberg caiu US$ 31 bilhões.

A Meta já está falando sobre maneiras de reter funcionários em meio à queda no valor das ações. A gigante da mídia social está pensando em estender os fins de semana de feriados de três dias já existentes, disse Zuckerberg, respondendo a uma pergunta sobre burnout.

Ele também incentivou os funcionários exaustos a usar seus dias de férias. Ele acrescentou que, com base em sua experiência de vida, fazer a transição para uma semana de trabalho de quatro dias o tempo todo não seria produtivo.

PUBLICIDADE

Os funcionários do Facebook, como muitos na indústria de tecnologia, tendem a ser fortemente remunerados por meio de ações. As opções de ações dos funcionários são adquiridas em 15 de fevereiro, e os bônus anuais chegam em março – ambos podem ser fatores considerados nas possíveis decisões dos trabalhadores de sair, de acordo com outra pessoa familiarizada com os planos da empresa.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDADE