PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

Powell: Não descartamos aumentar juros em todas as reuniões deste ano

Presidente do Fed disse nesta quarta (26) que há espaço na economia para aumentar juros sem prejudicar empregos

Presidente do Federal Reserve fala ao vivo após a divulgação da decisão de política monetária
26 de Janeiro, 2022 | 04:34 pm
Tempo de leitura: <1 minuto

Bloomberg Línea — O presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, disse nesta quarta-feira (26) que há bastante espaço para aumentar as taxas de juros sem prejudicar o emprego e o crescimento dos Estados Unidos, deixando claro que o comitê de política monetária do banco central está pronto para iniciar o ciclo de alta pós-pandemia.

Segundo ele, as altas podem acontecer inclusive “em todas as reuniões” deste ano, possivelmente começando em março.

Mais cedo, o Fed decidiu manter a taxa de juros americana inalterada, conforme comunicado divulgado nesta quarta, mas apontando que “em breve” será apropriado iniciar o ciclo de altas.

  • A taxa dos Fed Funds foi mantida no intervalo entre 0,0% e 0,25%, como esperado pelo mercado.
  • “Com a inflação bem acima de 2% e um mercado de trabalho forte, o comitê espera que em breve seja apropriado aumentar o intervalo da meta a taxa Fed Funds”

Jerome Powell comenta decisão do Fed:

  • Fomc tem em mente elevar juros no encontro de março
  • A política fiscal deste ano será menos favorável ao crescimento. Podemos aumentar as taxas sem ter que prejudicá-lo
  • Não descartamos aumentar as taxas de juros em todas as reuniões do Fomc
  • Há bastante espaço para aumentar as taxas de juros sem prejudicar o emprego
  • A economia está muito mais forte, a força de trabalho está forte e a inflação está acima das nossas projeções
  • A redução do balanço ocorrerá de maneira previsível
  • Vamos ajustar a gestão do balanço conforme necessário
  • A economia não precisa mais de fortes estímulos como na era da pandemia. É claro que o cenário permanece altamente incerto
  • A inflação continua muito além da nossa meta de longo prazo. Esperamos que a inflação recue ao longo deste ano
  • Acreditamos que a melhor coisa que podemos fazer é incentivar a expansão de longo prazo, o que exige estabilidade de preços. O Fed está comprometido com a meta de estabilidade de preços.
  • A produção é prejudicada por gargalos e restrições de fornecimento
  • A inflação excessiva agora está se espalhando mais amplamente. Os problemas de abastecimento são mais graves e duradouros do que se supunha anteriormente
  • A atual onda de vírus pode ter um impacto de longo prazo na força de trabalho
  • Os salários estão aumentando no ritmo mais rápido em anos. A participação da força de trabalho aumentou, mas ainda é moderada
  • Houve uma melhoria generalizada no mercado de trabalho. A demanda por mão de obra ainda é historicamente alta
  • A ômicron sem dúvida terá um impacto no crescimento econômico neste trimestre
  • A economia mostrou grande força. A política evoluiu em resposta ao ambiente em mudança
  • Com a inflação em alta e um mercado de trabalho saudável, continuaremos ajustando a política

Leia também

Ana Siedschlag

Ana Carolina Siedschlag

Editora na Bloomberg Línea. Jornalista brasileira formada pela Faculdade Cásper Líbero e especializada em finanças e investimentos. Passou pelas redações da Forbes Brasil, Bloomberg Brasil e Investing.com.

Toni Sciarretta

Toni Sciarretta

News director da Bloomberg Línea no Brasil. Jornalista com mais de 20 anos de experiência na cobertura diária de finanças, mercados e empresas abertas. Trabalhou no Valor Econômico e na Folha de S.Paulo. Foi bolsista do programa de jornalismo da Universidade de Michigan.