PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

Rali do petróleo esfria após maior alta desde 2014

Biden disse a repórteres na quarta-feira que o governo trabalharia para tentar aumentar os suprimentos disponíveis

West Texas Intermediate para março caía 1,4%, para US$ 84,38 o barril
21 de Janeiro, 2022 | 08:20 am
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — O rali dos preços de petróleo perdeu força, após chegar no maior patamar de 2014, junto à queda de outros ativos financeiros e commodities.

Os contratos futuros em Nova York caíram mais de 3% antes de reduzir algumas perdas para negociar perto de US$ 84 o barril, após um declínio nos estoques e matérias-primas, incluindo cobre.

PUBLICIDADE

Além do sentimento de baixa, os dados do governo dos EUA apontam para o primeiro ganho nos estoques de petróleo em oito semanas e comentários da Casa Branca de que pode trabalhar para acelerar a liberação de reservas estratégicas de petróleo.

“Temos visto alguns bons ganhos esta semana, não é surpreendente que estejamos vendo um pouco de retração”, disse Daniel Hynes, estrategista sênior de commodities do Australia & New Zealand Banking, nada mudou fundamentalmente.”

A Agência Internacional de Energia disse esta semana que o mercado de petróleo parecia mais apertado do que se pensava anteriormente, com a demanda se mostrando resiliente, apesar da rápida disseminação da variante omicron. O Morgan Stanley juntou-se ao Goldman Sachs na previsão de petróleo de US$ 100 no final deste ano, embora o Citigroup tenha alertado que manter uma visão otimista pode ser perigoso após este trimestre.

PUBLICIDADE

O Citigroup prevê que o mercado global de petróleo entrará em um superávit estrutural nos próximos sete trimestres, com a expectativa de que a demanda caia ou permaneça estável no segundo trimestre. As interrupções inesperadas também diminuíram, disse o banco.

“O mercado estava ficando um pouco à frente de si mesmo”, disse Warren Patterson, chefe de estratégia de commodities do ING Groep NV. “Estamos em território de sobrecompra há algum tempo e acho que estávamos atrasados em uma correção de baixa.”

Preços do petróleo

  • O West Texas Intermediate para março caía 1,4%, para US$ 84,38 o barril na Bolsa Mercantil de Nova York às 7h30, horário de Brasília, depois de cair 3,2% mais cedo.
  • O Brent para liquidação de março recuava 1,2%, para US$ 87,34 o barril na bolsa ICE Futures Europe.

O rali do petróleo representa um desafio para as nações consumidoras e os bancos centrais, que tentam evitar a inflação enquanto apoiam o crescimento econômico. O governo Biden renovou nesta semana a promessa de combater os preços mais altos, embora as opções disponíveis para lidar com o aumento dos preços da energia sejam limitadas.

Os estoques de petróleo dos EUA aumentaram em 515.000 barris na semana passada, segundo a Agência Internacional de Energia. Os estoques de gasolina aumentaram 5,87 milhões de barris, em comparação com um ganho de 2,6 milhões de barris previsto na pesquisa.

Outras novidades do mercado:

  • Os comerciantes de petróleo estão voltando seu foco para um possível acordo comercial entre a Coreia do Sul e alguns dos principais produtores do Golfo Pérsico, que pode reduzir os preços do petróleo do Oriente Médio nos próximos meses.
  • O prêmio do contrato de diesel mais próximo dos EUA entrou em colapso na quinta-feira, o maior desde abril de 2020, já que o clima mais ameno no próximo mês pode reduzir sua demanda por aquecimento.
  • O investimento na indústria de petróleo e gás natural do Canadá aumentará 22% este ano, para C$ 32,8 bilhões (US$ 26,3 bilhões) devido aos preços mais altos, segundo a Associação Canadense de Produtores de Petróleo.

Leia também

Bolsa de Tóquio desaba e futuros de NY caem com correção nos mercados

XP anuncia criação de corretora com escritórios de agentes autônomos

PUBLICIDADE