Internacional

Empresa de Jared Kushner contrata ex-funcionários de Trump

Genro e ex-assessor sênior do ex-presidente Donald Trump contratou os veteranos de private equity Bret Pearlman e Asad Naqvi

Genro e ex-assessor sênior do ex-presidente Donald Trump
Por Miles Weiss
20 de Janeiro, 2022 | 09:15 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Jared Kushner, genro e ex-assessor sênior do ex-presidente Donald Trump, conta com Washington e Wall Street para formar a equipe de sua nova empresa de private equity.

A Affinity Partners apresentou documentos à SEC (Comissão de Valores Mobiliários) dos Estados Unidos no mês passado relatando ativos levantados, nomes de vários funcionários e estratégias que a empresa adotará.

Alguns desses números já estão desatualizados. A Affinity agora tem mais de 20 funcionários, incluindo quatro do governo Trump, segundo uma fonte familiarizada com a empresa.

Kushner, que intermediou um acordo entre Israel e vários países do Oriente Médio enquanto trabalhava na Casa Branca, planeja abrir um escritório de investimentos lá que buscará investimentos regionais com vizinhos do norte da África e do Golfo.

PUBLICIDADE

A empresa também espera capitalizar as tendências macro, de acordo com seu registro de 23 de dezembro, que foi aberta sob o nome de A Fin Management.

“A Affinity acredita que os riscos geopolíticos estão criando uma pressão competitiva para que os países industriais avançados aumentem o investimento em indústrias-chave”, incluindo inteligência artificial, computação em nuvem e pagamentos digitais, informou a empresa no documento. “A Affinity procurará entender essas tendências para identificar mercados específicos que acredita que podem alcançar um crescimento desproporcional.”

Buscando capital

Kushner, que completou 41 anos no início deste mês, começou a criar a Affinity Partners em junho. O empreendimento gerou alguma controvérsia porque Kushner vem buscando capital de alguns dos países do Oriente Médio com os quais trabalhou na Casa Branca, incluindo a Arábia Saudita, segundo o New York Times.

A Affinity Partners levantou US$ 2 bilhões até o final de novembro, de acordo com o documento do mês passado, que não incluiu detalhes sobre os investidores. A empresa planeja atualizar o registro nas próximas semanas para refletir os compromissos adicionais, que agora ultrapassam US$ 3 bilhões, segundo a fonte.

PUBLICIDADE

Kushner contratou os veteranos de private equity, Bret Pearlman e Asad Naqvi, para selecionar investimentos e negociar acordos para a empresa com sede em Sunny Isles Beach, na Flórida.

Ian Brekke, que atuou como vice-conselheiro geral e conselheiro geral interino do Departamento de Segurança Interna de Trump, substituiu Nicholas Butterfield como diretor de conformidade em dezembro. Butterfield, ex-vice-coordenador de políticas da Casa Branca, ainda trabalha para a empresa.

John Rader, que trabalhou nas relações comerciais dos Estados Unidos com o México e o Canadá para o governo Trump, tornou-se diretor de operações da Affinity Partners em setembro, mostra o documento. Chad Mizelle, ex-advogado assistente do presidente, também foi contratado, disse a fonte.

Lauren Key, que mais recentemente foi diretora administrativa da Orion Energy Partners, ingressou na Affinity Partners como diretora financeira em outubro.

Antes de ingressar na Casa Branca, Kushner trabalhou para a empresa imobiliária de sua família, Kushner Cos., que seu pai construiu como um simples negócio de compra e reforma de apartamentos com jardins suburbanos na Costa Leste. Jared, encorajou a empresa a se mudar para Nova York e adotar uma postura mais agressiva, inclusive com a compra em 2007 do 666 Fifth Ave., uma torre de escritórios em Manhattan, que custou US$ 1,8 bilhão e logo foi atingida pela crise financeira. Desde a saída de Jared, a empresa voltou a fazer investimentos menos chamativos fora de Nova York.

– Esta notícia foi traduzida por Marcelle Castro, Localization Specialist da Bloomberg Línea.

PUBLICIDADE

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDADE