PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Cripto

Há vida além do Bitcoin: veja as criptos que crescem em meio ao crash de janeiro

A varinha mágica de Elon Musk ajudou o Dogecoin subir na última sexta-feira e a registrar ganhos acumulados no ano

Tempo de leitura: 4 minutos

Bloomberg Línea — Apesar da recuperação que o preço do Bitcoin (XBT) teve na última semana, a maior criptomoeda por capitalização de mercado marcou o pior início de ano desde o início dos registros. Na sexta-feira (14), às 12h36, horário de Nova York, o token digital caiu 9,73% e lutou para manter seu preço acima de US$ 43.000 após a aversão ao risco, alimentada por expectativas de uma política monetária mais agressiva por parte do Federal Reserve dos Estados Unidos.

No entanto, existem ativos digitais dentro desse mercado que foram salvos da queda e mostram aumentos que qualquer investidor de Bitcoin invejaria neste momento. De acordo com a plataforma Coinmarketcap, e tomando como referência apenas os ativos que possuem uma capitalização de mercado superior a US$ 10 bilhões, as criptos Near e ChainLink têm um retorno de mais de 20%.

PUBLICIDADE

A primeira é a criptomoeda da plataforma blockchain de mesmo nome. De acordo com sua descrição oficial, oferece altas velocidades, baixas taxas, uma melhor experiência do usuário e ajuda a remover as barreiras à adoção da Web 3.0. Além disso, permite a criação de plataformas para finanças descentralizadas (DeFi) ou tokens não fungíveis (NFT).

Seu token, Near Protocol, mostrou um crescimento de 31,20% até agora neste ano e estava sendo negociado a mais de US$ 19,87, a partir de sexta-feira às 12h36, horário de Nova York, de acordo com a plataforma Coinmarketcap. Seu valor de mercado atingiu US$ 12.210 milhões e é a única criptomoeda que acumula um crescimento de mais de 30% em 2022.

“Os tokens de pequena capitalização de mercado são especialmente interessantes para os varejistas que podem erroneamente pensar que Bitcoin ou Ethereum (XET ) são caros. Especialmente para iniciantes, o viés de preço unitário é um problema. Tokens de capitalização de mercado menores também podem ser de interesse para entusiastas de criptomoedas”, disse Ben Caselin, chefe de pesquisa e estratégia da AAX, por e-mail para a Bloomberg Online.

PUBLICIDADE

Essa análise está alinhada com a de Chris MacDonald, da Investor Place, que escreveu em uma nota que os investidores estão cada vez mais procurando tokens de menor capitalização com ecossistemas de rápido crescimento. “Muitos especialistas acreditam que uma mudança no mundo das criptomoedas de tokens de mega capitalização como Bitcoin e Ethereum para Altcoins menores com redes crescentes continuará”, disse.

O ChainLink, por sua vez, é um projeto oráculo descentralizado que roda em cima da rede Ethereum. No mundo das criptomoedas, um oráculo não é o mesmo que na mitologia grega, mas sim o nome dado às plataformas que permitem que ele sirva de ponte entre blockchains e dados externos à rede em que está localizado. “Sem os oráculos de blockchain, os contratos inteligentes teriam que depender apenas das informações já existentes em suas redes, o que limitaria severamente suas capacidades”, explica a Binance Academy.

De acordo com sua descrição oficial, ele mantém “as garantias de segurança e confiabilidade” inerentes à tecnologia blockchain. “ChainLink é uma tecnologia de código aberto desenvolvida coletivamente por uma grande comunidade de desenvolvedores, pesquisadores e usuários que compartilham o objetivo de torná-lo um bem público para o benefício de todo o ecossistema blockchain”, acrescenta.

PUBLICIDADE

O token estava sendo negociado acima de US$ 24,76 na sexta-feira e registrando uma alta de 19,96% nos primeiros 14 dias do ano. Sua capitalização de mercado atingiu US$ 11.577 milhões.

Apesar do bom desempenho, Caselin minimiza esses aumentos. “A negociação de tokens de pequena capitalização – ou realmente a maioria dos ativos criptográficos – permanece altamente especulativa e, às vezes, tudo o que é preciso é impulso. Em um nível fundamental, tanto o Near Protocol quanto o ChainLink são projetos sérios, mas destacar esses dois tokens de mais de 12.000 tokens simplesmente porque esses dois tiveram um bom desempenho pode não dizer muito neste estágio de seu ciclo de vida.”

O analista da AAX também alerta que, embora ofereçam mais funcionalidades que o Bitcoin, este último não está tentando ser nada mais do que um ativo de reserva e moeda base. “ChainLink e Near Protocol precisam ser avaliados em relação a outros concorrentes nesse espaço”, diz ele.

PUBLICIDADE

A varinha mágica de Elon Musk

O empresário com a maior fortuna do mundo é um mobilizador do mundo das criptomoedas. Na quinta-feira, 13 de janeiro, apenas ChainLink e Near eram os tokens que mostravam ganhos. Um tweet de Elon Musk, fundador da Tesla e SpaceX, e amante das criptomoedas, foi o suficiente para que o panorama mudasse.

O Dogecoin, meme token com o rosto do cachorro Shiba Inu, agora registra ganhos de 8,79% e seu preço era de US$ 0,18. A capitalização de mercado atingiu US$ 24,974 milhões, depois que Musk disse que a criptomoeda deveria ser usada para comprar alguns produtos da Tesla.

PUBLICIDADE

Vários relatórios indicam que o código-fonte do site da Tesla incluía uma opção para pagamentos de Dogecoin, informou a Bloomberg News, incluindo um tweet do co-criador de dogecoin Billy Markus, que tuitou uma imagem na sexta-feira que parecia mostrar um Cyberwhistle – um apito inspirado no Tesla Cybertruck, disponível por um preço de 300 Dogecoins.

Leia também

Carlos Rodríguez Salcedo (PT)

Carlos Rodríguez Salcedo (PT)

Jornalista colombiano, especializado em economia. Fui jornalista e editor do jornal La República, com experiência em questões macroeconômicas, comerciais e financeiras. Eu também trabalhei para a agência de notícias Colprensa.

PUBLICIDADE