Viagens

Delta Air ainda vê lucro em 2022, mesmo com a recuperação lenta da covid

Empresa acredita que ômicron atrasará a recuperação das viagens em 60 dias e contribuirá para um prejuízo no primeiro trimestre

Companhia aérea registrou lucro ajustado no quarto trimestre de 22 centavos por ação
Por Mary Schlangenstein
14 de Janeiro, 2022 | 04:25 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — A Delta Air Lines diz que a variante ômicron, que se espalha rapidamente pelo mundo, atrasará a recuperação das viagens em 60 dias e contribuirá para um prejuízo no primeiro trimestre, mas não prejudicará a expectativa da companhia de continuar lucrativa pelo resto do ano.

Com a expectativa de pico de casos de covid nos EUA nos próximos sete dias, o ritmo de melhora nas viagens deve retomar a trajetória original de dezembro por volta de 21 de fevereiro, disse a Delta em comunicado na quinta-feira (13) após divulgar os resultados financeiros do quarto trimestre.

“Ainda vemos nosso Dia do Presidente [feriado de 21 de fevereiro] e os padrões de reservas muito saudáveis”, disse o CEO da empresa, Ed Bastian, em entrevista. “As pessoas estão prontas para viajar.”

A Delta é a primeira grande companhia aérea dos EUA a relatar resultados financeiros para um trimestre prejudicado por quase 11 mil cancelamentos de voos nos últimos 13 dias de dezembro e mais de 13.200 em outubro, de acordo com o rastreador de dados FlightAware.com. No entanto, taxas de doença de funcionários amplamente variadas nas companhias aéreas, que continuam a aterrar alguns voos, podem significar que os resultados da Delta não são os indicadores do setor para resultados futuros.

PUBLICIDADE

Cerca de 8.000 funcionários da Delta contraíram o vírus nas últimas quatro semanas, disse Bastian. No pico no final de dezembro e início de janeiro, o vírus e as tempestades de inverno forçaram a companhia aérea a cancelar até 10% de seus voos diários programados. Isso cortou cerca de US$ 75 milhões da receita do quarto trimestre e reduziu o lucro antes dos impostos para US$ 170 milhões em relação à expectativa anterior da empresa de US$ 200 milhões a US$ 250 milhões.

O lucro ajustado da Delta no quarto trimestre de 22 centavos por ação ficou um centavo abaixo da média das estimativas de analistas compiladas pela Bloomberg. O lucro líquido ajustado de US$ 143 milhões deu à Delta um segundo lucro trimestral consecutivo após excluir a ajuda financeira dos EUA. A receita, excluindo as operações de refinaria, foi de US$ 8,43 bilhões, em comparação com as expectativas de US$ 8,45 bilhões.

Veja mais: Turismo só deve superar freio da ômicron na primavera, diz CNC

Volumes de viajantes

A receita recuperou para 74% do nível pré-pandemia no mesmo período de 2019, embora a receita de passageiros internacionais permaneça em 50% em meio a restrições de viagens em andamento em alguns países. O volume de viajantes de negócios domésticos no quarto trimestre ficou perto de 60% do nível de 2019.

PUBLICIDADE

“Se a ômicron recuar tão rapidamente quanto os especialistas médicos estão pensando, espero que os escritórios sejam reabertos na primavera e veremos o tráfego de negócios aumentar a partir daí”, disse Bastian.

A Delta espera que a receita neste trimestre seja de 72% a 76% do nível de 2019. Os custos unitários, um indicador de eficiência da indústria, estarão 15% acima de dois anos atrás, excluindo combustível e itens especiais. O impacto da ômicron e das interrupções de voo serão responsáveis por três pontos da mudança. A capacidade de voo será de até 85% dos níveis do primeiro trimestre de 2019.

A Delta também anunciou um pagamento especial de participação nos lucros de US$ 1.250 por funcionário, previsto para 14 de fevereiro. A transportadora distribuirá cerca de US$ 100 milhões no total, ou cerca de 20% do lucro obtido no primeiro semestre de 2021. Pagamentos de participação nos lucros da Delta atingiu um pico de US $ 1,6 bilhão em 2019.

Leia também

PUBLICIDADE