PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

Ibovespa fecha em alta na esteira de Nova York

Índice acompanhou ganhos de Wall Street, impulsionados por falas de Powell; dólar caiu mais de 1%

acciones
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg Línea — O Ibovespa (IBOV) encerrou o pregão desta terça-feira (11) em alta, com o mercado local pegando carona nos ganhos das principais bolsas de Nova York. Lá, os investidores avaliaram as falas do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, que garantiu que o Fed vai conter a inflação. Os comentários também refletiram no dólar que, por aqui, fechou em queda. Já as taxas do DI subiram refletindo os dados do IPCA.

  • A bolsa subiu quase 2%, ficando acima dos 103 mil pontos. Já o dólar ficou abaixo dos R$ 5,58.

Mais cedo, o presidente do Fed afirmou que o banco central não hesitará em agir, se necessário, para conter a inflação e ajudar a garantir o pleno emprego, embora se espere que o descompasso entre oferta e demanda que elevou os preços diminua.

PUBLICIDADE

“Se tivermos que aumentar mais as taxas de juros ao longo do tempo, nós o faremos”, disse Powell em resposta a uma pergunta em sua audiência de confirmação no Comitê Bancário do Senado. “Usaremos nossas ferramentas para recuperar a inflação.”

Os preços subiram 5,7% nos 12 meses encerrados em novembro, medidos pelo índice de preços de gastos com consumo pessoal, a referência preferida do Fed. “Para obter o tipo de mercado de trabalho muito forte que queremos com alta participação, será necessária uma longa expansão”, disse ele. “Para obter uma longa expansão, precisaremos de estabilidade de preços. E assim, de certa forma, a inflação alta é uma grave ameaça à obtenção do emprego máximo”.

Na cena local, pela manhã, o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) mostrou alta mensal de 0,73% em dezembro, totalizando uma alta de 10,06% no ano de 2021, a maior alta acumulada desde 2015.

PUBLICIDADE

O resultado de 2021 foi influenciado principalmente pelo grupo Transportes, que apresentou a maior variação, de 21,03%, e o maior impacto no acumulado do ano, segundo o instituto. Em seguida vieram Habitação (13,05%) e Alimentação e bebidas (7,94%). Juntos, os três grupos responderam por cerca de 79% do IPCA de 2021.

  • Câmbio: O dólar caiu 1,67%, para R$ 5,57;
  • Bolsa: O Ibovespa subiu 1,80%, para 103.778 pontos;
    • Entre as maiores altas percentuais ficaram Petz (PETZ3), Méliuz (CASH3) e Natura & Co (NTCO3). Nas maiores perdas: Minerva (BEEF3), BRF (BRFS3) e Embraer (EMBR3);
  • Juros: O DI com vencimento para janeiro de 2025 subiu de 11,48% para 11,51% enquanto o de 2027 foi de 11,37% para 11,44%;
  • Exterior: Em Nova York, o Dow Jones (INDU) subiu 0,45%, o S&P 500 (SPX) de 0,92%, e o Nasdaq (CCMPDL) 1,41%;
  • Bitcoin (BTC): A criptomoeda operava em alta de 2,93%, a US$ 42.718, por volta das 18h30.

-- Com informações de Bloomberg News

Igor Sodré

Igor Sodré

Jornalista com formação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, com experiência na cobertura de cultura e economia, tendo como foco mercado financeiro e companhias. Passou pela Bloomberg News e TradersClub.

PUBLICIDADE