PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Internacional

Aeroporto de Hong Kong proibirá circulação de alguns turistas

Suspensão começará em 15 de janeiro e durará até 14 de fevereiro, embora a data final esteja sujeita a revisão, conforme fonte

Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Passageiros aéreos do chamado Grupo A, ou países designados de alto risco, devem ser proibidos de transitar pelo Aeroporto Internacional de Hong Kong, segundo pessoas familiarizadas com o assunto, uma medida que se junta ao esforço agressivo do centro financeiro de se proteger contra a ômicron.

Funcionários do aeroporto informaram recentemente as transportadoras sobre o plano, disseram as fontes, pedindo para não serem identificadas porque os detalhes ainda não são públicos. A suspensão começará em 15 de janeiro e durará até 14 de fevereiro, embora a data final esteja sujeita a revisão, disse uma das pessoas. Os procedimentos associados à proibição ainda não foram definidos, disse outra pessoa.

PUBLICIDADE

Veja mais: Tripulação adoece e companhias aéreas cancelam voos no Brasil

Embora os volumes de tráfego estejam fracos por conta da pandemia, é provável que a mudança afete desproporcionalmente a Cathay Pacific Airways, a principal transportadora da cidade que lida com a grande maioria dos translados de passageiros. Antes da covid, Hong Kong era um centro movimentado para tráfegos da China continental, Taiwan e várias outras áreas da região, além de longas distâncias, como EUA e Reino Unido.

Hong Kong enfrenta um surto relativamente pequeno da variante ômicron, impondo novas restrições a uma ampla gama de atividades enquanto se esforça para manter uma estratégia de tolerância zero à Covid. O governo disse nesta terça-feira (11) que as aulas presenciais em jardins de infância e escolas primárias seriam suspensas a partir de sexta-feira, até depois do Ano Novo Lunar no próximo mês.

PUBLICIDADE

Existem cerca de 150 países e territórios na lista do Grupo A de Hong Kong, incluindo os oito países que têm proibições específicas quanto a rotas de voos devido a casos de Covid a bordo. Esses oito são Austrália, Canadá, França, Índia, Filipinas, Paquistão, Reino Unido e EUA.

Conforme Sharon Chen, analista de crédito da BI: “A queima de caixa da Cathay Pacific pode aumentar no 1T à medida que sua capacidade é reduzida ainda mais devido às restrições de Hong Kong. Mas pode ter liquidez suficiente para suportar isso, com HK$ 7,8 bilhões em empréstimos do governo ainda não sacados.”

Hong Kong proibiu todos os translados aeroportuários de passageiros em março de 2020, nos primeiros dias da pandemia, mas retomou-as gradualmente nos meses seguintes, exceto para a China continental. Embora as restrições de viagem tenham afetado severamente o tráfego durante a crise da Covid, a Cathay disse que tem uma demanda saudável em voos de translado.

PUBLICIDADE

A suspensão dos serviços de translado não se aplicará a diplomatas, autoridades do governo e atletas e funcionários participantes dos Jogos Olímpicos de Inverno em Pequim, segundo as pessoas. Os Jogos Olímpicos de Inverno de 2022 começam em 4 de fevereiro.

“Estamos em estreita comunicação com a comunidade aeroportuária sobre medidas para fortalecer o controle de infecções no aeroporto”, disse a Autoridade Aeroportuária de Hong Kong em comunicado por e-mail.

Os países do bloco do Grupo A incluem rotas tradicionalmente populares de Hong Kong, incluindo Singapura, Austrália e uma série de nações europeias.

Veja mais em bloomberg.com

PUBLICIDADE