PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

Contaminado por onda vendedora do exterior, Ibovespa abre no vermelho

Mercados enfrentam uma volatilidade cada vez maior, à medida que os investidores lutam para saber como reajustar os preços dos ativos

Mercado mostra aversão a risco no início da semana
10 de Janeiro, 2022 | 11:02 am
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg Línea — Com a onda vendedora no exterior e a rotação de carteiras apresentando continuidade nesta segunda-feira (10), os futuros dos índices americanos, assim como os mercados acionários europeus, operam no vermelho, e o Ibovespa (IBOV) entra na mesma toada.

PUBLICIDADE

O futuro do Nasdaq (CCMPDL), que tem forte concentração de papéis de tecnologia, ronda queda de 1%, sinalizando uma abertura turbulenta para o índice, depois que perdeu 4,5% na primeira semana de negociações de 2022. Os rendimentos do Tesouro se estabilizaram em torno de 1,7% após uma venda global de títulos na semana passada, que gerou uma rotação de ações de alto rendimento para ações cíclicas mais baratas.

Os mercados enfrentam uma volatilidade cada vez maior, à medida que os investidores lutam para saber como reajustar os preços dos ativos, à medida que a liquidez pandêmica que ajudou a levar as ações a patamares recordes é retirada. Os dados mais recentes do índice de preços ao consumidor dos Estados Unidos, que serão divulgados nesta semana, serão observados com atenção enquanto o Federal Reserve se prepara para conter as pressões sobre os preços com aumentos de taxas mais rápidos do que o esperado.

PUBLICIDADE
  • Perto das 10h50, o Ibovespa caía 0,77%, a 101.929 pontos, perto da mínima da sessão de 101.730 pontos
  • Magazine Luiza (MGLU3), Vale (VALE3) e CSN (CSNA3) eram as maiores contribuições para o recuo do índice
  • O dólar avança 0,50%, com o menor apetite por risco, a R$ 5,693, próximo da máxima do dia. Os vencimentos dos juros seguem o mesmo caminho e avançam. O DI para janeiro de 2023 subia de 11,975% para 12,060%
  • Nos EUA, o futuro do S&P 500 subia 0,62%, do Dow Jones, 0,24% e do Nasdaq, 1,18%

Contexto

“Ainda há um tom muito hawkish a ser precificado nos ativos, e isso poderia causar um pouco mais de venda nos mercados esta semana, especialmente em ações com tendência de alta, que devem sentir a pressão de taxas de juros mais altas em comparação com os nomes de valor”, disse Ipek Ozkardeskaya, analista sênior da Swissquote.

Veja mais: Mercado inicia semana com cautela de olho em volatilidade de Treasuries

A perspectiva de uma política mais agressiva do Fed está perturbando os mercados no início de 2022, especialmente para ações ricamente avaliadas e de hipercrescimento com projeções de crescimento de longo prazo que são prejudicadas pelo aumento da inflação. Em contraste, ações de valor, como financeiras e empresas de energia, são vistas como vencedoras de um regime de taxas mais altas.

(Com informações de Bloomberg News)

Kariny Leal

Kariny Leal

Jornalista carioca, formada pela UFRJ, especializada em cobertura econômica e em tempo real, com passagens pela Bloomberg News e Forbes Brasil. Kariny cobre o mercado financeiro e a economia brasileira para a Bloomberg Línea.