Internacional

Caos aéreo: EUA têm mais 2.800 voos cancelados com neve e ômicron

Desde a véspera de Natal, quase 18 mil voos foram suspensos no país por causa do mau tempo e pandemia

EUA tem mais voos cancelados nesta segunda
Por Mary Schlangenstein
03 de Janeiro, 2022 | 08:10 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Milhares de voos foram cancelados nos Estados Unidos no primeiro dia de trabalho do novo ano. As companhias aéreas seguem com dificuldades operacionais por conta de funcionários afastados com covid-19, fato agravado pelas tempestades de inverno que atingiram o nordeste do país.

Mais de 2.830 voos foram cancelados até o início da tarde, de acordo com o rastreador de dados FlightAware.com, o maior total diário em mais de um mês. Cerca de 8.200 foram suspensos desde o início de 2022.

Os aeroportos no nordeste dos EUA lideraram os cancelamentos após uma tempestade de inverno com neve pesada e fortes rajadas de vento se espalhou do meio do Atlântico, fechando escolas e escritórios em Washington e cortando energia para mais de 1 milhão de pessoas.

Os problemas relacionados ao clima aumentaram os atrasos nos voos que começaram antes do feriado de Natal, com quase 18 mil voos suspensos nos EUA desde a véspera de Natal, de acordo com a FlightAware.

PUBLICIDADE

Mais de 67.500 voos sofreram atrasos no período, evidenciando os esforços para voltar para casa dos passageiros que visitaram a família ou tiraram férias.

Quase 75% dos voos com chegada e saída do Aeroporto Nacional Ronald Reagan de Washington foram cancelados, assim como 47% no Aeroporto Internacional Thurgood Marshall de Baltimore/Washington e cerca de um quarto no Aeroporto Internacional Washington Dulles, mostraram os dados da FlightAware.

Cerca de 21% dos voos estavam parados no LaGuardia de Nova York e 12% em Newark, Liberty International de New Jersey.

Pandemia

Doenças entre os trabalhadores das companhias aéreas associadas à variante omicron de rápida disseminação contribuíram para os cancelamentos.

PUBLICIDADE

A JetBlue Airways Corp. citou um aumento no casos médicos relacionados ao vírus como um fator em sua decisão na semana passada de reduzir sua programação em 1.280 voos entre 30 de dezembro e 13 de janeiro. O número de casos na American Airlines Group Inc. permaneceu constante nos últimos dias, disse a companhia em um e-mail.

“Esperamos que o número de casos de covid no nordeste - onde a maioria dos membros da nossa tripulação está baseada - continue a aumentar nas próximas duas semanas”, disse a JetBlue na segunda-feira em um comunicado. “Isso significa que há uma grande probabilidade de cancelamentos adicionais até que a contagem de casos comece a diminuir.”

Tanto a Southwest Airlines Co. quanto a United Airlines Holdings Inc. disseram que as doenças entre os trabalhadores continuam afetando as operações, sem fornecer detalhes, e a Alaska Air Group Inc. informou que ainda está vendo ausências acima do normal devido à covid-19.

Tempestade de neve

Os atrasos persistiram mesmo em áreas onde as tempestades de inverno passaram, com a Southwest dizendo que o frio extremo em Denver exige protocolos de segurança extras para funcionários que trabalham fora, contribuindo para atrasos e alguns cancelamentos. A companhia aérea com sede em Dallas liderou os voos cancelados na segunda-feira, suspendendo 602, ou 16% do total, de acordo com dados da FlightAware.

A JetBlue, que está usando gerentes para preencher alguns postos, suspendeu 148 voos na segunda-feira, ou 14%, enquanto a SkyWest Inc. cancelou 326, ou 14%, e a Republic Airways Holdings Inc. 266, ou 24%. SkyWest e Republic transportam passageiros em aeronaves menores para centros de aeroportos das principais companhias aéreas.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDADE