Saúde

Regulador do Reino Unido aprova comprimido da Pfizer contra Covid-19

Medicamento Paxlovid foi autorizado para uso em pessoas com mais de 18 anos com Covid leve a moderada, disse a Agência Reguladora de Medicamentos

Reino Unido encomendou 2,75 milhões de unidades do medicamento Pfizer, que obteve autorização de uso de emergência nos Estados Unidos na semana passada
Por Deirdre Hipwell
31 de Dezembro, 2021 | 11:02 am
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — O regulador de saúde britânico aprovou a pílula contra a Covid-19 da Pfizer, com o governo do primeiro-ministro Boris Johnson correndo para construir um arsenal de armas contra o ressurgimento da pandemia.

O medicamento da Pfizer, Paxlovid, foi autorizado para uso em pessoas com mais de 18 anos com Covid leve a moderada e pelo menos um fator de risco para o desenvolvimento de doença grave, disse a Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos de Saúde do Reino Unido nesta sexta-feira (31).

A Paxlovid se junta a uma gama crescente de ferramentas para combater a pandemia, incluindo vacinas e tratamentos antivirais. O Reino Unido tem estado na frente em aprovações e acelerou a campanha de reforço à medida que a variante ômicron avança.

O Reino Unido encomendou 2,75 milhões de unidades do medicamento Pfizer, que obteve autorização de uso de emergência nos Estados Unidos na semana passada. O Reino Unido também encomendou a pílula antiviral da Merck, o molnupiravir, desenvolvida com o parceiro Ridgeback Biotherapeutics, que foi aprovada pelo regulador britânico em novembro.

PUBLICIDADE

É muito cedo para dizer se a ômicron tem algum impacto na eficácia da Paxlovid, mas o regulador disse que está trabalhando com a Pfizer para determinar isso.

Em um ensaio clínico em adultos de alto risco com Covid sintomático, um curso de Paxlovid de cinco dias reduziu o risco de hospitalização e morte em 28 dias em 89%, em comparação com um grupo de placebo, quando o tratamento foi iniciado três dias após o início dos sintomas.

Esses medicamentos foram descritos como potenciais viradores do jogo na luta contra a Covid devido à facilidade de uso e à eficácia que demonstraram nos testes.

“Agora temos mais um medicamento antiviral para o tratamento de Covid-19 que pode ser tomado por via oral, em vez de administrado por via intravenosa”, disse o presidente-executivo da MHRA, June Raine, em um comunicado. “Isso significa que pode ser administrado fora de um ambiente hospitalar antes que a Covid-19 progrida para um estágio grave.”

PUBLICIDADE

Leia também

Cinco assuntos quentes para o Brasil na próxima semana

China pune residentes que tentam fugir de lockdown em Xi’an

PUBLICIDADE