PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Negócios

Goldman lidera consultoria em ano recorde de fusões e aquisições

Domínio do Goldman coincide com um valor recorde de fusões e aquisições globais e acordos relacionados, que superou US$ 5 trilhões

Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — O Goldman Sachs manteve a liderança em acordos de fusões e aquisições em 2021, um ano recorde.

O banco de investimento foi o consultor nº 1 no segmento pelo quinto ano consecutivo, com base no valor total em dólares das transações coordenadas, de acordo com dados compilados pela Bloomberg.

PUBLICIDADE

O domínio do Goldman coincide com um valor recorde de fusões e aquisições globais e acordos relacionados, que superou US$ 5 trilhões. O Goldman prestou assessoria em acordos que ultrapassaram US$ 1 trilhão, o que deu ao banco participação de mercado acima de 24%, mostram os dados.

As comissões do Goldman relacionadas a esses acordos - mais de US$ 4 bilhões nos primeiros nove meses de 2021 - superaram de longe os ganhos dos rivais mais próximos, JPMorgan Chase e Morgan Stanley, de acordo com documentos regulatórios dos bancos. As comissões não incluem os acordos concluídos no quarto trimestre, que serão divulgadas posteriormente.

Acordos de participação acionária e muitas formas de emissão de dívida em todo o setor também atingiram máximas. O Goldman também é o maior “bookrunner” na coordenação de ofertas públicas iniciais globais, segundo os dados.

PUBLICIDADE

“Estamos focados microscopicamente para sermos fortes em todos os subsetores da economia”, disse em entrevista Dan Dees, codiretor do banco de investimento do Goldman. Ele disse que o banco tem focado em tecnologia, saúde e empresas de investidores financeiros.

Em um ano recorde de fusões e aquisições, a competição está mais acirrada do que nunca. O Barclays ganhou participação e agora é o banco europeu mais ativo, superando o Credit Suisse neste ano. O Evercore registrou o maior salto em volume entre as principais empresas boutique, com mais de US$ 100 bilhões em negócios acima do valor de 2020, mostram os dados. Rothschild agora está entre os top 10, enquanto o UBS perdeu terreno.

Veja mais em bloomberg.com

PUBLICIDADE

Leia também

Regulador do Reino Unido aprova comprimido da Pfizer contra Covid-19

Cinco assuntos quentes para o Brasil na próxima semana

PUBLICIDADE