PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Brasil

Bolsonaro recebe apelo para terminar férias por desastres com chuvas

Mesmo os líderes de partidos de centro que o apoiam no Congresso disseram que mais precisa ser feito

“Espero não ter que voltar para casa antes do planejado”, disse ele a um grupo de banhistas
Por Daniel Carvalho
28 de Dezembro, 2021 | 08:03 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — A pressão está aumentando sobre o presidente Jair Bolsonaro para fornecer mais ajuda financeira aos estados brasileiros afetados por fortes chuvas que deixaram várias cidades submersas e milhares de pessoas desabrigadas.

O presidente, que está de férias em uma praia de Santa Catarina, publicou nesta terça-feira (28) um decreto reservando R$ 200 milhões para reconstruir rodovias e estradas destruídas por enchentes nos estados do Amazonas, Bahia, Minas Gerais, Pará e São Paulo.

PUBLICIDADE

Veja mais: Chuvas na Bahia: Governo destinará R$ 200 mi para consertar estradas

Mas mesmo os líderes de partidos de centro que o apoiam no Congresso disseram que mais precisa ser feito. O presidente da Câmara, Arthur Lira, um aliado próximo do presidente, disse aos repórteres que o valor desembolsado até agora é “insuficiente”. Celebridades brasileiras também estão pedindo que o Bolsonaro tome outras medidas.

A situação mais crítica está no estado da Bahia, onde semanas de chuvas torrenciais fizeram com que dois rios transbordassem e explodissem em duas represas no fim de semana de Natal. Vinte e uma pessoas morreram, 77.000 estão desabrigadas e um total de 470.000 afetadas, de acordo com a Defesa Civil. O estado registra o maior índice pluviométrico acumulado em dezembro em 32 anos, e outras dez barragens ali estão sendo monitoradas quanto a risco de rompimento.

PUBLICIDADE

Veja mais: Bahia vive maior desastre natural de sua história

O presidente, que se candidata à reeleição no ano que vem, enviou quatro membros de seu gabinete para fiscalizar as condições da Bahia, e o estado receberá R$ 80 milhões para a reconstrução de estradas. Espera-se que mais dinheiro seja liberado nos próximos dias. Mas os oponentes do governo aproveitaram a situação para criticar Bolsonaro por desfrutar de férias na praia enquanto grande parte do país sofre com inundações.

O presidente manteve até agora sua programação de férias.

“Espero não ter que voltar para casa antes do planejado”, disse ele a um grupo de banhistas que conheceu durante suas férias, de acordo com um vídeo postado nas redes sociais.

Veja mais em Bloomberg.com

PUBLICIDADE