Mercados

Ásia inicia negócios em baixa após derrocada da Nasdaq; futuros de NY sobem

Ações caem no início da manhã desta sexta no Japão e na Coreia do Sul, mas têm leve alta na Austrália

Ásia inicia negócios em baixa seguindo perdas em NY
Por Sunil Jagtiani
16 de Dezembro, 2021 | 10:43 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Os mercados asiáticos iniciaram os negócios desta sexta-feira em baixa após a derrocada das ações nos EUA, puxada pelo setor de tecnologia, em meio ao aperto da política monetária para combater os efeitos da inflação.

As ações caem no início da manhã no Japão e na Coreia do Sul, mas têm leve alta na Austrália. Já os futuros de ações dos EUA oscilam, mas mantêm leve alta após o Nasdaq 100, referência de alta tecnologia, ter caído para o menor patamar desde setembro. O indicador desabou com a redução do apetite por investimentos considerados sobrevalorizados enquanto o Federal Reserve reverte a política monetária para reduzir o nível de estímulos.

O rendimento dos títulos do Tesouro dos EUA de 10 anos reduziu parte do declínio em relação aos negócios nos EUA. A demanda contínua por títulos do Tesouro reflete potencialmente as preocupações de que a variante ômicron, de rápida disseminação, vá desencadear restrições que enfraqueçam as perspectivas econômicas.

Um indicador cambial sinaliza uma nova queda semanal do dólar pela terceira vez consecutiva. O petróleo recua, reduzindo uma alta estimulada pela maior baixa no estoque de petróleo bruto dos EUA desde setembro, além da movimentação do dólar.

PUBLICIDADE

Bancos centrais em todo o mundo estão restringindo os estímulos monetários em uma tentativa de conter as pressões sobre os preços, ao mesmo tempo em que mantêm um olhar atento sobre o impacto da variante ômicron. Esse cenário faz com que os investidores questionem se as ações globais devem passar por uma fase mais difícil, depois de quase dobrar em relação aos piores patamares durante a pandemia.

“O ciclo que você está vendo aqui é realmente sobre uma mudança de tom, uma mudança de regime, a possibilidade de uma política mais rígida no próximo ano, não apenas no Fed, mas globalmente”, disse Alicia Levine, chefe de ações e assessoria de mercado de capitais do BNY Mellon Wealth Management, à Bloomberg Television.

Aperto na política monetária

O Banco da Inglaterra aumentou inesperadamente as taxas de juros na quinta-feira, impulsionando a libra esterlina. O Banco Central Europeu temporariamente ampliou a compra regular mensal de títulos por meio ano para suavizar a saída da política de estímulo na crise.

O Federal Reserve dobrou esta semana o ritmo de retirada das compras de títulos e projetou três aumentos nas taxas de 0,25 ponto em 2022, outros três em 2023 e mais dois em 2024.

PUBLICIDADE

Em outro lugar, os líderes democratas do Senado não conseguiram romper um impasse sobre a agenda econômica de US$ 2 trilhões do presidente Joe Biden, em um golpe político para a Casa Branca.

Tensão EUA-China

Mas o Senado aprovou uma legislação que proibiria produtos da região chinesa de Xinjiang, a menos que as empresas provassem que não foram feitos com trabalho forçado. O governo Biden também adicionou 34 alvos chineses à sua lista de entidades proibidas, mantendo a tensão com Pequim.

Nos dados mais recentes dos EUA, os pedidos de seguro-desemprego aumentaram na semana passada, mas permaneceram perto dos níveis mais baixos da pandemia à medida que a recuperação do mercado de trabalho continua. O setor imobiliário dos EUA começa fortalecido em novembro ao ritmo mais rápido em oito meses, enquanto a produção nas fábricas avançou de forma sólida.

Aqui estão alguns eventos importantes desta semana:

  • Decisão de política monetária do Banco do Japão, sexta-feira;
  • Rebalanceamento trimestral dos índices S&P Dow Jones, sexta-feira.

Alguns dos principais movimentos nos mercados:

Ações

  • Os futuros do S&P 500 subiam 0,2% pouco depois das 10h30 em Tóquio (22h30 em Brasília). Na quinta, o S&P 500 caiu 0,9%;
  • Os futuros do Nasdaq 100 tinham alta de 0,2%. O Nasdaq 100 caiu 2,6%;
  • O índice Topix do Japão caia 0,6%;
  • O Kospi da Coreia do Sul recuava 0,1%;
  • O índice S&P/ASX 200 da Austrália subia 0,4%;
  • Os futuros do Hang Seng pouco mudaram;

Moedas

  • O Bloomberg Dollar Spot Index ficou estável;
  • O euro estava em US$ 1,1334;
  • O iene japonês estava em 113,68 por dólar;
  • O yuan offshore estava em 6,3788 por dólar;

Renda fixa

  • O rendimento dos títulos do Tesouro de 10 anos subiu um ponto-base para 1,42%;

Commodities

  • O petróleo bruto West Texas Intermediate caiu 0,9%, para $ 71,75 o barril
  • O ouro foi negociado a US$ 1.799,51 a onça

--Com assistência de Sophie Caronello e Rita Nazareth.

PUBLICIDADE

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDADE