PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Green

Líderes da UE buscam maior monitoramento de mercado de carbono

Rali chamou a atenção para a especulação e o impacto sobre a inflação em meio à crise de energia

ESG
Por Ewa Krukowska e Nikos Chrysoloras
16 de Dezembro, 2021 | 02:57 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — Chefes de governo querem que o executivo da União Europeia melhore o monitoramento do mercado de carbono do bloco, onde um rali chamou a atenção para a especulação e o impacto sobre a inflação em meio à crise de energia.

PUBLICIDADE

Líderes do Conselho Europeu estão preocupados com a volatilidade dos preços da energia à medida que a economia se recupera da pandemia, segundo minuta da declaração política vista pela Bloomberg. Licenças de carbono no Sistema de Comércio de Emissões da UE (EU-ETS, na sigla em inglês) subiram para um recorde de 90,75 euros por tonelada na semana passada e são negociadas com alta de quase 150% neste ano. Os preços da energia também atingiram recordes.

Preços de licenças do carbono na União Europeia subiram com aumento dos custos da energia e do gásdfd

“O Conselho Europeu convida a Comissão a aprofundar a análise do funcionamento dos mercados de eletricidade, bem como a monitorar o comércio de emissões da UE, e a tomar as iniciativas necessárias”, afirma o comunicado, que deverá ser adotado durante a cúpula em Bruxelas na quinta-feira.

PUBLICIDADE

Veja mais: 20% dos brasileiros boicotam marcas que não se preocupam com ESG, aponta estudo

A redação do documento mudou ligeiramente desde a semana passada, quando líderes consideraram pedir ao executivo da UE para aprofundar a supervisão das negociações e “fazer o acompanhamento adequado”. A redação final ainda está sujeita a alterações, antes e durante a discussão dos líderes.

O programa da UE impõe limites decrescentes de poluição em mais de 11 mil instalações pertencentes a fabricantes, geradores de energia e companhias aéreas. O bloco discute atualmente uma reforma profunda do mercado para alinhar o programa com metas climáticas mais rigorosas para 2030. Isso envolve acelerar os cortes de emissões, medida que tornará as licenças mais escassas.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também